A Itália é um dos nove países da UE que nunca tiveram uma mulher chefe de governo

Há mais de 40 anos, o primeiro país da UE a ter um primeiro-ministro foi Portugal, com Maria de Lourdes Pintasilgonomeada chefe de governo em agosto de 1979. Pintasilgo foi a primeira, mas também a última mulher a chefiar um governo português.

Cinco países da UE tiveram mais de uma mulher chefe de governo. Entre eles está a França, com Edith Cresson (1991) ed. Elisabeth Borne (2022); Polônia, com Hanna Suchocka (1991), Ewa Kopacz (2014), Beato Szydlo (2015); Dinamarca, com Helle Thorning-Schmidt (2011) e Conheci Frederiksen (2019); Finlândia, com Anneli Jäätteenmäki (2003), Mari Kiviniemi (2010) e Sanna Marin (2019); e Lituânia, com Kazimira Danute Prunskiene (1990) e Ingrida Simonyte (2020).

Os outros Estados-Membros da UE que tiveram apenas uma mulher à frente do governo são: Bélgica, com Sophie Wilmes (2019); Alemanha, com Angela Merkel (2005); Áustria, com Brigitte Bierlin (2019); Eslováquia, com Iveta Radicova (2010); Eslovênia, com Alenka Bratusek (2013); Croácia, com Jadranka Kosor (2009); Grécia, com Vassiliki Thanou-Christophilou (2015); Bulgária, com Renata Indzhova (1994); Romênia, com Viorica Dăncila (2018); Suécia, com Madeleine Anderson (2021); Estônia, com Kaja Kallas (2021); e Letônia, com Laimdota Straujuma (2014).

Além da Itália, oito países da UE nunca tiveram uma mulher chefe de governo: Espanha, Irlanda, Luxemburgo, Holanda, Malta, República Checa, Hungria e Chipre.

Beowulf Presleye

"Extremo fanático por mídia social. Desbravador incurável do twitter. Ninja do café. Defensor do bacon do mal."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *