A Mercedes está de volta? Binotto: “Sou como a Ferrari 2021”

Esta será a verdadeira glória, aquela reivindicada com o retomada da atuação no GP da Espanha, pela Mercedes? As corridas que virão dirão, de Monte Carlo às verificações técnicas em circuitos que ainda são diferentes em termos de características: Azerbaijão, Canadá, para chegar no verão e encontrar um cenário semelhante em Barcelona, ​​​​em Silverstone.

Nomeações que terão de ser marcadas por uma nova subida de desempenho, porque o salto espanhol, por si só, não é suficiente. Se Hamilton indicou a possibilidade de voltar à vitória neste 2022 como um objetivo real, depois de verificar o andamento com os desenvolvimentos, Wolff foi ainda mais longe ao imaginar um retorno às corridas para um dos dois campeonatos mundiais.

Mercedes, outro intervalo de 40 segundos

Um bom fim de semana não está na moda, especialmente com a leitura das lacunas preenchidas por Russell na qualificação e na corrida. Esses são valores para os quais Mattia Binotto se volta, dados que posicionam a Mercedes de Barcelona nas lacunas sofridas pela Ferrari em 2021.

“Antes de mais, parabéns a eles porque recuperaram e melhoraram o carro, na qualificação ficaram a 7 décimos da pole, numa volta curta. Na corrida, eles terminaram mais de 30 segundos atrás da Red Bull e estariam talvez 40″ atrás de Charles.

Quarenta segundos em 63 voltas ainda são 6-7 décimos por volta. Seis décimos, 7 décimos por turno é um ainda um grande destacamento, é como a Ferrari do ano passadoPalavras de Binotto após a partida com o Barcelona.


Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.