A nova vida de Fabio Coentrão: De lateral do Real Madrid a pescador

Antigo jogador do Real e de Portugal, Coentrão dedicou-se inteiramente à pesca seguindo os passos do pai: “Sou feliz, aqui estão as minhas raízes”.

Fabio Coentrão tem muitas histórias para contar. Ele já foi lateral-esquerdo do Real Madrid, por assim dizer. Não só isso: jogou pelo Benfica, pelo Mónaco e pela seleção portuguesa, participando também num Mundial. Tempos passados. Porque para os canhotos, o futebol agora parece ser o último pensamento.

Coentrão, hoje, tem 34 anos. E a última partida oficial de sua carreira foi disputada em 30 de maio de 2021, com a camisa do Rio Ave. Ele anunciou sua aposentadoria do futebol em 2019, depois mudou de ideia para jogar com os verdes e brancos, depois se despediu de vez. Para fazer o que? Para se dedicar à outra grande paixão da sua vida fora do futebol: a pesca.

Hoje o ex-Real vive em Caxinas, Portugal, uma zona de pesca. Ele tem um barco chamado Vitória Coentrão e trabalha com cerca de cinquenta pessoas. E o canal digital português Empower Brands Channel foi visitá-lo, oferecendo-lhe um serviço e definindo-o “o rosto de uma nova geração de empresários que acreditam na pesca como uma atividade de futuro na economia marítima”.

“Aqui estão minhas raízes, desde que nasci – diz Coentrão – Meu pai tinha um barco, gostava de pescar e eu costumava ir com ele. Eu gosto muito disso. Sempre que tinha tempo livre ou estava de férias, a minha vida era o mar, era a pesca. Claro, eu sabia que um dia eu iria parar de jogar futebol. Aqui estou feliz, esta é a vida que quero ter.

A Coentrão define-se como um modelo para a geração mais jovem. E não apenas por vestir a camisola do Real Madrid.

“Claro. Acredito que quem ama o mar deve seguir seus sonhos. Não há vergonha em levar esta vida, ao contrário do que muitos pensam. O mar é precioso para nós e para o mundo. As pessoas que trabalham lá devem ser respeitadas como qualquer outro trabalhador. Com as condições de hoje, acho que é um bom trabalho a fazer.”

Estranho dizer, para quem jogou um Mundial com Portugal e dividiu o vestiário com Cristiano Ronaldo. Mas os objetivos, em sua nova vida, não faltam.

“Quero ter 40 anos, ter 10 barcos. Quando eu tinha 15 anos eu queria jogar no Real Madrid, Eu sabia que o caminho seria longo e difícil e que aqui será ainda mais difícil. Mas sou uma pessoa otimista e confiante.”

Um longo e difícil caminho destinado a catalisar seu presente e seu futuro. é futebol? Um capítulo agora encerrado por um triplo capricho, mas enriquecido por uma carreira dos mais destacados: sucessos em casa – onde soube fazer sorrir os adeptos do Benfica e do Sporting – até ao sonho do Real Madrid, com o qual conquistou pela primeira vez o cimeira da Espanha, depois da Europa e do mundo. Realmente não posso pedir mais.

Cooper Averille

"Praticante de cerveja incurável. Desbravador total da web. Empreendedor geral. Ninja do álcool sutilmente encantador. Defensor dedicado do twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.