Bruno Alves, o muro português que atingiu a Juve aos 37

Central dotado de grande força e personalidade, foi durante anos um dos jogadores da seleção portuguesa e até tocou na chegada à Juve.

Que de 16 de julho de 2018 é uma daquelas datas que necessariamente mereciam um lugar na história da Juventus. De fato, naquele dia o clube da Juventus mostrou ao mundo ‘o impossível tornado possível‘, apresentando orgulhosamente sua mais recente aquisição extraordinária durante a coletiva de imprensa: Cristiano Ronaldo.

Fechando o que na época era definido por muitos como o ”Operação do século‘, a Velha Senhora não só ela conseguiu os serviços de um dos maiores campeões de todos os tempos, mas também começou a recorrer a ela novamente, de uma maneira que provavelmente não acontecia há anos, as luzes dos holofotes. Naquele dia, a Juve se viu no centro do universo do futebol e, portanto, da atenção de todos os torcedores do planeta.

Quando profere as primeiras palavras tingidas de preto e branco, Cristiano Ronaldo não é o único campeão português na sala de imprensa. De facto, a poucos metros dele está um jogador que conhece muito bem e com quem partilhou um dos maiores sucessos da sua carreira, nomeadamente o triunfo no Euro 2016, amigo de quem irá então recomendar calorosamente a compra à Juventus por um alguns meses depois: Bruno Alves.

Bruno Alves Cristiano Ronaldo Portugal

Ambos, embora obviamente de formas diferentes, representavam o melhor que uma das gerações mais talentosas de toda a história do futebol lusitano podia oferecer. Se o primeiro se consolidou como um atacante extraordinário capaz de oferecer coisas que nunca havíamos visto em um campo de futebol antes de sua chegada, o segundo é certamente um jogador menos conspícuo, um daqueles campeões não destinados aglória eterna‘, mas que mesmo assim se estabeleceu como um defesa-central muito sólido, capaz de registar dezasseis títulos no marcador e obter, em 2009, o reconhecimento como melhor jogador do campeonato português.

Também neste verão Bruno Alves se prepara para ir para a Itália, mas para ele é um retorno. Ele já vestiu a camisa para a temporada 2016-2017 Cagliariestá indo muito bem entre outras coisas, e depois de uma experiência na Escócia com o Glasgow Rangers, ele está pronto para viver uma nova aventura com Parma.

O clube ducal, que recentemente celebrou o regresso à Serie A, identificou precisamente no defesa lusitano o líder a quem confiar a braçadeira de capitão e as chaves do balneário, bem como o perfil com as características certas para lucrar o legado da bandeira de Alessandro. Lucarelli, que entretanto deixou o futebol depois de ser o símbolo da cavalgada que em três anos trouxe de volta os cruzados de ”Inferno‘de D ao paraíso de A.

O que é colocado à disposição de Roberto D’Aversa é um elemento que tem o futebol impresso em seu DNA. Ele nasceu em Póvoa de Varzimuma cidade da Costa Verde, e como todos os que por lá passam, tem uma relação especial com o mar.

Onde cresceu, muitos decidem dedicar-se à pesca ou ao turismo, mas para Bruno Alves nem o mero pensamento do que fazer “quando crescer” nunca aconteceu. o pai dele Washington ele era um jogador de futebol, assim como seus irmãos Geraldo E Julho e tio Geraldo Assoviador.

Jogar futebol esteve sempre de alguma forma no seu destino e começou a fazê-lo muito jovem, despertando de imediato o interesse dos melhores clubes portugueses.

“Varzim é uma pequena vila piscatória – ele disse ‘ParmaToday’ – Comecei a jogar futebol por diversão. Fui para a escola como todos os outros, surgiu a oportunidade do futebol, comecei a jogar nesta pequena cidade onde morava e depois mudei-me para o Porto com 17-18 anos e tudo mudou. Eu tinha um verdadeiro contrato profissional e nem tive tempo de pensar no plano B. Se não fosse jogador de futebol, não sei o que teria me tornado. »

No Porta ele terá a oportunidade de se dedicar como zagueiro de classe mundial e também de conhecer Pepe, com quem formará uma formidável dupla de centrais por anos na seleção. Com a camisa Dragões ele descobrirá o que significa vencer e levará para o céu esse hábito de erguer troféus que também manterá na Rússia, onde será um dos pivôs do Zênite de Spalletti, e na Turquia, onde trará importantes satisfações com o Fenerbahçe.

Quando ele chega a Parma no verão de 2018, muitos se perguntam se, aos trinta e sete anos, ele ainda tem tudo para ser competitivo na Série A, mas leva apenas algumas semanas para mostrar a todo mundo que não apenas ainda é intacto, mas ainda pode facilmente fazer a diferença.

Bruno Alves Parma 2020

É por esta razão que o Juventusem janeiro de 2019, teste concretamente, também sob o conselho de Cristiano Ronaldopara levá-lo à sombra do Taupe. Benácia na verdade, ele se despediu dos Bianconeri e da Itália para se mudar para o Catar no Al Duhail e Bonucci está lutando com uma lesão. Alegre vê-se obrigado a lidar com uma cobertura muito curta na defesa, embora ligeiramente “esticada” pelo regresso de Martinho CáceresE Bruno Alves melhor do que ninguém, ele pode representar aquele jogador pronto e capaz de trazer a experiência e a mentalidade de um vencedor como seu dote.

A ideia, portanto, é boa, mas há um problema: o Parma não pretende se privar de seu líder dentro e fora de campo.

“Ele é o exemplo de profissionalismo, de vontade de finalizar, Bruno é um jogador valioso e um homem que não quer perder nem no futebol-tênis – o então diretor esportivo do Parma explicou ao ‘Gazzetta dello Sport’ em 2019 Daniele Faggiano – Perfeitamente integrado entre outros, e capaz de ser um líder. Sim, a Juve o queria, e também outro grande italiano, mas ele e eu já havíamos conversado sobre a extensão do contrato e o projeto baseado em Parma que também seria baseado nele: assim que surgiram alguns rumores, fizemos o negócio acontecer . O outro grande jogador foi o Inter? Não confirmo e não nego”.

Aos trinta e sete anos, Bruno Alves vê, portanto, a última chance de vestir a camisa de um grande jogador e a vitória está se esvaindo, mas isso não o incomoda e para ele o Parma nunca representará uma desistência.

“Recebi uma ligação quando estava em Portugal do meu ex-técnico, Jorge Mendes, e ele me falou sobre a possibilidade de ir para a Juve. revelado novamente no ‘ParmaToday’ – Então o técnico Faggiano e os outros decidiram que não era o melhor momento para eu ir. Não fui infeliz, acredito no que faço, sou ambicioso mas também muito feliz por estar aqui”.

Bruno Alves ele permanecerá em Parma por mais duas temporadas, ele se tornará um 39 anos e 170 dias é o jogador mais velho a marcar um gol na Serie A pelo Gialloblù (tirando o recorde do compatriota Fernando Couto) e será dos últimos a desistir mesmo quando em 2021 o clube decidiu apostar nos elementos mais jovens e o espectro da Serie B vai agora fechar inexoravelmente.

Ao deixar o clube ducal, fá-lo-á depois de três anos de reserva da equipa, daqueles que em poucas palavras sempre alternaram tanto esforço e tanta acção.

“Obrigado Parma, você foi muito mais que um clube de futebol, mais que futebol você foi dedicação e paixão – ele escreverá em uma mensagem de despedida publicada em seu perfil do Instagram – Após três anos de pura dedicação, durante os quais deixei minha família em Portugal para dedicar todo o meu empenho e foco a este clube e a esta cidade, é hora de dizer adeus e agradecer por esta oportunidade!No futuro novas possibilidades e novos projetos virão! Venha para o Parma para sempre”.

Bruno Alves continuou a pisar os campos de jogo mesmo depois de cruzar o limiar das quarenta primaveras e anunciou a sua aposentadoria em junho de 2022, após uma última experiência com o Apollon Smyrnis nesta Grécia que já o havia recebido dezesseis anos antes quando tentava importar com o AEK . Atenas.

Sua carreira foi muito longa, mas poderia ter terminado muito mais cedo se ele não tivesse ouvido as palavras de seu amigo Cristiano Ronaldo.

O artigo continua abaixo

“Eu estava prestes a me aposentar – ele disse ‘Esporte 24’ – Aí o Cristiano me ligou e disse: ‘Você tem que continuar jogando. Cuide de si mesmo e você está em boa forma. Eu sei o quanto você ama futebol, então não desista. ‘ Foi assim que mudei minha decisão. Se Cristiano me disser para continuar, então isso significa que eu realmente posso fazer isso.”

Agora finalmente de volta para casa. Entretanto, haverá as praias e o mar de Póvoa de Varzim: Bruno Alves terminou de escrever o último capítulo de sua longa história como jogador de futebol.

Cooper Averille

"Praticante de cerveja incurável. Desbravador total da web. Empreendedor geral. Ninja do álcool sutilmente encantador. Defensor dedicado do twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.