“Conte rachou o governo e dividiu o Partido Democrata do ‘campo grande'” – Informazioneonline.it

O Congresso Nacional do Partido Socialista Italiano (PSI) terminou no domingo, 17 de julho, com a eleição por aclamação do secretário Enzo Maraio. O congresso de três dias contou com a presença de todos os principais representantes da centro-esquerda italiana e europeia: de Roberto Speranza a Angelo Bonelli, passando pelo subsecretário Bruno Tabacci e até Ettore Rosato, Roberto Gualtieri, Stefania Craxi, Stefano Caldoro, Marilena Grassadonia. Ausente, embora convidado, Calenda di Action.

Foram muitas as intervenções interessantes e incisivas, as palavras do nosso secretário nacional foram claras e firmes: “A centro-esquerda é o nosso leito do rio, as nossas diretrizes são a sustentabilidade ambiental, o europeísmo e a luta contra a discriminação em todas as suas formas”.

Nossos melhores votos ao Secretário Nacional Dr. Enzo Maraio e a todo o partido é perseguir objetivos comuns de acordo com o princípio socialista da coletividade, trabalhando pelo bem comum, mas também pela solidariedade e defesa da fragilidade.

Reiteramos fortemente o compromisso do PSI com a questão do trabalho no Congresso. Somos contra o trabalho precário, o trabalho medíocre, o trabalho intermitente que não dá liberdade e dignidade às pessoas, por isso exigimos intervenções importantes e decisivas nas políticas trabalhistas ativas para garantir: estabilidade, salários adequados, salários mínimos e contratos reais. Também foi lembrado pelo secretário Enzo Maraio que temos uma bússola que se chama Partido dos Socialistas Europeus e que na Itália, dentro da centro-esquerda, nosso leito natural de pertencimento, devemos estabelecer uma relação de colaboração mais estreita com as forças políticas que consulte-o.

Precisamos de uma visão internacional que inspire mudanças com ações concretas dirigidas à vizinha Espanha de Pedro Sanchez e ao Portugal de Antonio Costa.

Continuamos a crescer nas realidades locais com administradores credíveis e competentes que trabalham para construir uma rede eficaz em todo o território, capaz de devolver ao nosso país a sua dignidade e a sua alma progressista e democrática.

O Congresso ocorreu em meio a uma crise política que viu o primeiro-ministro renunciar. “O fim do governo Draghi é algo inaceitável, prejudica a reputação do nosso país.” Este é o pensamento que emergiu das intervenções de muitos delegados e expresso conjuntamente pelo secretário do PSI Maraio, que sustentou que a fratura que se abriu foi um gesto irresponsável e do Congresso dos Socialistas pede a todas as forças majoritárias que apoiem o presidente Draghi para um novo governo. A Itália precisa de respostas para a inflação crescente, para a crise energética, para a falta de trabalho, certamente não para uma crise dessa magnitude. O Governo de Unidade Nacional, liderado por uma figura de autoridade como a de Mario Draghi, permitiu ao nosso país recuperar a credibilidade internacional e é também por isso que não compreendemos a carreira de Giuseppe Conte, que hoje produz fragilidade institucional, desestabiliza os mercados e enfraquece a economia.

“Se isso não acontecer, estaremos prontos para nos apresentar na Itália com nossas ideias e nossos projetos para o país, para dar respostas à inflação crescente, ao trabalho que não existe, à terrível crise em curso” , concluiu o secretário socialista Maraio.

Nós da seção de Varèse achamos que Conte quebrou o governo, mas talvez também tenha dividido o PD de campo largo… Voltemos às praças, no meio do povo! Avante então, é hora para nós.

A seção PSI Varese, o secretário cidadão, o conselho de administração.

Cooper Averille

"Praticante de cerveja incurável. Desbravador total da web. Empreendedor geral. Ninja do álcool sutilmente encantador. Defensor dedicado do twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.