CR7 recusa o banco e voa para Portugal

Cristiano Ronaldo não assistiu à derrota humilhante do Manchester United no derby para o Manchester City porque assim que soube que ficaria no banco no derby contra os líderes da Premier League, preferiu voar para Portugal.

A indiscrição recolhida pelos tablóides ingleses contrasta com a versão oficial prestada à imprensa pelo treinador Ralf Rangnick que tinha explicado a ausência do português devido a uma lesão de última hora.

Também a irmã de CR7, Katia Aveiro, desmentiu indirectamente as palavras do treinador alemão, colocando um “like” num post de um adepto que, reconstruindo a história, descartou a lesão de Ronaldo, mas sim que a sua exclusão foi puramente técnico-tática .

Mais um episódio que evidencia a atual insatisfação do português de 37 anos que já em dezembro tinha manifestado a sua frustração com o desempenho oscilante dos Red Devils, não excluindo as despedidas no final da temporada.

Ronaldo não poupou críticas nem mesmo no Rangnick, questionando sua capacidade de comandar um time de ponta como o United.

Domingo, último atrito entre os dois: diante da perspectiva de não iniciar o jogo contra os Citizens, Ronaldo deixou o hotel onde estava hospedado com os companheiros na tarde de sábado para voltar à Madeira com a família, para surpresa de todos, sem planejar nada. explicações.

Um gesto destinado a deixar cicatrizes na já difícil relação entre os dois. “Mas tenho de acreditar que o meu corpo técnico – justificou-se Rangnick – na sexta-feira disseram-me que Ronaldo não iria treinar por causa de um problema pélvico”.

Cooper Averille

"Praticante de cerveja incurável. Desbravador total da web. Empreendedor geral. Ninja do álcool sutilmente encantador. Defensor dedicado do twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.