Da Conferência Climática das Nações Unidas às Conferências Climáticas da Juventude no Trentino

Jovens de Trentino na conferência do clima das Nações Unidas. Reuniões preparatórias [
Uff. Stampa]

A participação na COP27 faz parte de um projeto promovido e financiado pela Agência Provincial de Proteção Ambiental, e implementado pela Associação Viração & Jangada em colaboração com o Centro Europeu Jean Monnet da Universidade de Trent.

O objetivo é contar o evento internacional da COP27 visto pelos jovens, por meio do uso de técnicas de jornalismo participativo no âmbito da Agência de Imprensa da Juventude, com a produção de artigos, fotos, podcasts e vídeos que serão veiculados nas redes sociais. Os participantes do projeto acompanharão a primeira semana da COP27 de Trento, participando remotamente dos eventos programados, enquanto na segunda semana estarão presentes na cidade egípcia de Sharm el-Sheikh, onde também trabalharão em equipes com cerca de quarenta jovens De outros países. O grupo utilizará o site www.stampagiovanile.it e as contas do Facebook e Instagram da Agência (Facebook: www.facebook.com/agenziadistampa; Instagram @stampagiovanile) como plataforma de divulgação, além de outros meios de comunicação mais tradicionais, como jornais, rádios, revistas locais e nacionais. Os artigos também serão traduzidos e publicados em inglês, português e espanhol.

Conferências sobre o clima da juventude em Trentino

A participação da delegação trentino na COP27 é uma das duas atividades previstas dentro de um projeto maior que envolve a implementação de processos participativos territoriais voltados para os jovens, em questões relacionadas à emergência climática e medidas de adaptação às mudanças climáticas no Trentino. . O percurso participativo territorial consiste na criação das “Juventudes Climáticas”, uma iniciativa de educação climática e cidadania global que pretende contribuir para a implementação do programa “Trentino Clima 2021-2023”, coordenado pela APPA e que visa desenvolver a futura estratégia provincial de mitigação e adaptação às mudanças climáticas. O objetivo é garantir que os jovens, à luz de uma experiência internacional como a da COP27, sejam protagonistas ativos em seus territórios de origem do caminho para a Estratégia, especialmente no que diz respeito à identificação e definição de medidas de adaptação ao clima mudança em nível local.

Quais são os problemas em Sharm el-Sheikh

O clima de trabalho da COP27 será inevitavelmente condicionado pela eclosão do conflito na Ucrânia que, além do imenso drama para as populações envolvidas, representa um dos sinais mais evidentes de uma crise sistêmica.
Com efeito, uma das causas do conflito é a necessidade de garantir o acesso aos recursos fósseis ainda considerados estratégicos.
para o consumo de energia de muitos países, mas que representam a principal causa das emissões de gases de efeito estufa na origem das mudanças climáticas. As consequências dramáticas sobre os custos energéticos e a segurança do abastecimento em muitos países como os europeus, no entanto, põem em causa as já lentas políticas destinadas a sair da dependência dos combustíveis fósseis.
Enquanto isso, os sinais das mudanças climáticas estão se tornando cada vez mais evidentes. Para a Europa, o verão que acaba de terminar foi o mais quente já observado e as temperaturas dos últimos trinta anos atingiram um
o dobro da média mundial. Ondas de calor, incêndios, secas e chuvas extremas afetam muitos
partes do mundo com impactos nos ecossistemas, sociedades e economias.
Os compromissos voluntários de redução de emissões de gases de efeito estufa assumidos pelos diversos países e parcialmente atualizados para a COP27 são totalmente insuficientes para garantir que os limites de elevação de temperatura indicados pelo Acordo Climático de Paris não sejam ultrapassados. As emissões globais de gases de efeito estufa em comparação com as projeções atuais teriam, de fato, que ser reduzidas em 30% e 45%, respectivamente, para manter o aquecimento global abaixo de 2°C e menos de 1,5°C de aumento em comparação com a era pré-industrial. As temperaturas médias globais já atingiram o limite para um aumento de 1,1°C e a comunidade científica está pedindo uma ação urgente, pois o tempo disponível é cada vez mais reduzido para limitar impactos cada vez mais graves e irreversíveis em todo o mundo.
No centro da agenda da COP27 estará o tema da adaptação às mudanças climáticas, fortemente solicitado pelos países africanos e pela presidência egípcia, tendo em vista que os maiores impactos das mudanças climáticas são sofridos pelos países mais pobres. O objetivo prioritário será aumentar o financiamento das políticas de adaptação e segurança da população, bem como a transferência das tecnologias necessárias para garantir a transição energética. Uma questão espinhosa será a dos novos instrumentos financeiros exigidos aos países ocidentais para arcar com os custos de compensação em benefício dos países mais frágeis pelo que se chama de “perdas e danos” causados ​​por fenômenos como o aumento do nível da mar e eventos climáticos extremos.

Participação no projeto:

Coordenação: Paulo Lima (Ass. Viração & Jangada)
Alunos: Federica Dossi, Emanuele Rippa, Emiliano Campisi, Jessica Cuel, Marzio Fait
Pesquisadores e especialistas: Roberto Barbiero e Lavinia Laiti (APPA)
Para acompanhar as notícias ao vivo de Sharm el-Sheikh, basta acessar o site www.stampagiovanile.it ou
site www.climatrentino.it
No Facebook, basta clicar em “curtir” na página da Agence Presse Jeunesse.
(www.facebook.com/agenziadistampa) ou no Instagram siga a conta @stampagiovanile.

Harlan Ware

"Aficionado por zumbis que gosta de hipster. Explorador típico. Defensor da cultura pop. Nerd de mídia social."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *