Festa Frente! E os comunistas portugueses celebram o seu jornal com 3 dias de cultura e política

Nos dias 2, 3 e 4 de setembro, o “Avante! Festival”, dedicado ao jornal histórico do Partido Comunista Português (PCP) – “Avante! “, aliás – fundado em 1931, cujo nome retoma o jornal histórico do Partido Socialista Italiano, fundado em Imola, pelo anarco-socialista Andrea Costa, em 1881.
As comemorações deste ano – entre cantos, danças, performances e debates – incluíram ainda um concerto sinfónico dedicado ao centenário de nascimento do escritor português José Saramago, bem como comunistas libertários inscritos no PCP, clandestinamente, em 1969, na altura da ditadura de Salazar.
No último dia do Festival, o Secretário-Geral do Partido Comunista Português, Jerónimo de Sousa, disse, entre outras coisas:
“Uma calorosa saudação a todos vocês, a todos os construtores, participantes e visitantes do Avante! Festival”. Celebração de um prestigiado jornal, órgão central do Partido Comunista Português!
Um Festival sem igual construído com a obra e arte de um grande coletivo militante!
Uma saudação especial aos jovens e ao JCP que, tanto em termos de construção como de participação, são a prova de um Festival com futuro brilhante. Um Festival que concretiza um sonho que vamos perseguir: que o projecto português pelo qual lutamos um dia tenha muito da beleza, solidariedade e harmonia do nosso Avante! Festival”.
Saudamos também os artistas que, com pontos de vista muito diferentes, aqui trouxeram a sua arte para dimensões culturais multifacetadas, aqui exerceram a sua actividade profissional, aqui voltaram a expressar a liberdade que o povo português conquistou com o 25 de Abril. , uma saudação dirigida aos atletas, aos técnicos, a todos os demais participantes no vasto programa do Festival.


Cá estamos com uma edição sempre renovada e renovada do Festival que, mais uma vez, encontra enorme sucesso apesar das repetidas campanhas de manipulação e mentira, pressão e chantagem desprezível.
Aqui estamos, neste espaço de afirmação dos valores da fraternidade, da paz, da solidariedade internacionalista, da democracia e do socialismo.
Estamos lá e foram milhares e milhares de participantes neste Festival incomparável e multifacetado, o maior evento político e cultural do país.
Aqui estamos, com os nossos amigos de todos os continentes que daqui acolhemos, os partidos comunistas e outras forças progressistas e anti-imperialistas que nos honram com a sua presença.
Aqui estamos e somos este Partido Comunista Português, prontos e determinados a continuar a luta pela defesa dos interesses dos trabalhadores, do nosso povo, do país, e solidários com a luta dos trabalhadores e dos povos do mundo inteiro.
Um mundo em que o capitalismo confirma e revela suas contradições, sua natureza exploradora, opressora, agressiva e predatória, sua crise estrutural. Isso não só mostra a incapacidade desse sistema de responder aos principais problemas da humanidade, mas também mostra que ele é tanto a causa quanto o fator de sua deterioração, o que se reflete na crescente exploração, desigualdades e injustiças, atacando a democracia. , na degradação ambiental.
Um mundo em que a intensificação da agressividade do imperialismo traz novos perigos, com crescentes irrupções de conflitos e aceleração da corrida armamentista, com o aprofundamento da crise e o relativo declínio das principais potências imperialistas, nomeadamente os Estados Unidos, em diante do desenvolvimento de um vasto processo de realinhamento de forças em nível internacional.
Isso é evidente nas manobras e provocações que se realizam cada vez mais contra a China, no cerco passo a passo da Rússia, bem como na ingerência e agressão do imperialismo contra muitos outros países.
A Convenção Nacional “Tome a iniciativa, fortaleça o Partido, responda às novas necessidades” está aqui e daqui convidamos todos a participar com a sua contribuição para o debate que se seguirá.
Sim, com a contribuição de todos, daremos uma perspectiva confiante de futuro à nossa luta e à luta dos trabalhadores e do nosso povo, por uma vida melhor e pelo desenvolvimento do país.
Sim, trabalhamos ao mesmo tempo para realizar as tarefas de fortalecimento da organização do Partido! Não desistimos, não cumprimos e não desistimos!
Queremos um país mais desenvolvido e mais justo, um Portugal do futuro. Nós vamos construí-lo!
Sabemos o que somos e o que queremos ser: somos e queremos ser o Partido Comunista Português, com a sua história, a sua luta, a sua identidade, o seu projeto de futuro.
Afirmamos sua natureza de classe do Partido da classe trabalhadora e de todos os trabalhadores, que melhor apoia os interesses e aspirações de todas as classes e estratos antimonopolistas. Enfatizamos seu objetivo final de construir uma nova sociedade socialista e comunista, livre de exploração e opressão.
Somos um partido com uma identidade inegável, a razão da sua existência, a sua força e o seu papel insubstituível. Sempre com os trabalhadores e com o povo, sempre com soberania e independência nacional, sempre com princípios internacionalistas, somos e seremos o Partido Comunista Português – o Partido a que nos orgulhamos de pertencer!
Viva o Festival Avanti!
Viva a Solidariedade Internacionalista!
Viva o JCP e a Juventude!
Viva o PCP!”
O PCP, fundado em 1921 e oficialmente registado como partido político desde 1974, após a queda do regime de Salazar, está desde 1987 federado com o Partido Ecologista na “Coligação Democrática Unitária”.
Nas últimas eleições, realizadas a 30 de janeiro de 2022, esta coligação obteve 4,3% dos votos e 6 deputados na Assembleia Legislativa portuguesa.

Beowulf Presleye

"Extremo fanático por mídia social. Desbravador incurável do twitter. Ninja do café. Defensor do bacon do mal."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.