Filmes dedicados aos esportes de inverno para ver durante as férias de verão – Fondo Italia

Enquanto se espera que a temporada dedicada aos esportes de inverno retome seu curso natural, é hora de fazer um balanço e cronogramas, já que nas últimas semanas o Conselho da FIS anunciou oficialmente quais serão os marcos para a Copa do Mundo 2022-2023 e para o Campeonato Mundial de Esqui Alpino 2023. Ao todo são 41 corridas no programa que também se dividem em 11 descidas, 8 super gigantes, 10 gigantes, 11 slalom e 1 paralela feminina, 42 corridas masculinas com 14 descidas, 7 super gigantes, 10 gigantes, 10 slaloms e 1 paralelo (mais a equipa na final do Soldeu).

A primeira saída a não perder é a do próximo dia 22 de outubro em Solden, a que se seguirá a prova em Cervinia, sem excluir tudo o que se refere às finais em Andorra, sempre para o período de outono. Com efeito, faltam dois meses para o regresso do esqui e dos desportos de inverno, com um programa que, como se vê, será muito intenso e abrangerá todo o período emblemático deste tipo de disciplina.

Enquanto aguarda o início da temporada esportiva, é hora de rebobinar a fita neste período de férias e rever filmes, documentários e formatos prontamente disponíveis nas plataformas de streaming dedicadas aos esportes de inverno. Aqui está a lista que compilamos para você.

1. Corridas legais – Quatro abaixo de zero

Filme altamente recomendado para todos os amantes do gênero esportivo familiar, no qual a Disney criou uma tendência marcante, como você pode ver no catálogo da categoria cinema esportivo presente na plataforma Disney Plus. Cool Runnings é como você já sabe um filme contundente com uma notável sequência cômica inspirada na emocionante e improvável equipe de bobsled jamaicana, que realmente competiu nos Jogos Olímpicos de Inverno de 1988.

Como sempre, a Disney extrai desses eventos histórias capazes de emocionar e envolver seu público, partindo de uma base para jovens com o objetivo de inspirar e conscientizar sobre questões atuais, adaptadas a um determinado tipo de público. Neste caso, a intenção moral da história é que, não muito escondida, ousar e ter grandes sonhos impossíveis que às vezes podem se tornar realidade. Claro que o que faz a diferença neste filme são as cenas de ação da parte preparatória, temperadas com muitas reviravoltas e momentos engraçados, onde se destaca a interpretação do saudoso comediante canadiano John Candy. Candy é um rosto bem conhecido, pois participou de filmes de grande sucesso, começando com sua atuação no filme cult de John Landis, The Blues Brothers (1980), onde estrelou ao lado de gigantes da música negra e casal composto por John Belushi e Dan Aykroyd.

2. Assassinato no Eiger dirigido por Clint Eastwood

Escolhemos este filme, dirigido por um jovem de quarenta e cinco anos Clint Eastwood (o filme data de 1975) não tanto pelo enredo, que é um pouco confuso e complexo, como o livro em que se baseia, mas por certas cenas de ação espetaculares, onde o diretor de fotografia e o diretor (o próprio Eastwood) mostrar todo o seu conhecimento do ponto de vista técnico. De fato, este filme, mesmo depois de quarenta anos, é citado pelos fãs do gênero esportivo e do esqui alpino como um exemplo a seguir.

Se você é fã de cinema e gosta das sequências cult de um autor como Christopher Nolan, saiba que a sequência alpina é uma homenagem declarada ao filme de Eastwood. Uma curiosidade sobre o ator e diretor californiano: há muitos de seus filmes dedicados ao esporte, incluindo os fundamentos Invictus (sobre rugby) e Million Dollar Baby (sobre boxe feminino).

3. Milagre com um ótimo Kurt Russell e uma decoração do Oscar

Também neste caso, a escolha recai sobre um filme presente no catálogo de filmes desportivos da Disney. O filme conta a história verídica do time masculino de hóquei que conseguiu a façanha de vencer a seleção da União Soviética. O filme é bem dirigido e apresenta um Kurt Russell muito crível como treinador Brooks, mas o aspecto mais interessante diz respeito à atmosfera e ambientação nos EUA dos anos 1980, quando a Guerra Fria era mais uma coisa óbvia e não era apenas um jogo de hóquei no gelo, nem um jogo.

Esta história na Europa é reservada aos verdadeiros entusiastas dos esportes de inverno, mas nos Estados Unidos é um evento histórico que muitas vezes é usado como metáfora para uma conquista esportiva impossível. De alguns pontos de vista, pode-se traçar um paralelo com o trabalho que Roberto Mancini fez com a seleção italiana de futebol, conquistando o Campeonato Europeu de 2020. De fato, no futebol moderno não há muitos exemplos de um resultado sensacional como o uma conquistada por Mancini, com a seleção italiana recuperando o título depois de mais de 50 anos.

Um resultado que, se analisado do ponto de vista apostas de futebol hoje só pode ser comparada à vitória da Grécia na edição realizada em Portugal em 2004 e da Dinamarca na edição de 1992 na Suécia, que sem surpresa inspirou o filme Verão 1992, dedicado ao empreendimento desportivo da seleção escandinava.

Cooper Averille

"Praticante de cerveja incurável. Desbravador total da web. Empreendedor geral. Ninja do álcool sutilmente encantador. Defensor dedicado do twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.