Fisioterapia pediátrica: especialistas europeus em conferência em Florença


Abre o evento internacional promovido pela Pediatric SIG. Cecchetto: a experiência italiana confirma-se como força motriz da inovação e do conhecimento. D’Aversa: e três temas fundamentais da nomeação são neurociência, deficiências complexas e adolescência

A segunda edição do Congresso Europeu de Fisioterapia Pediátrica (EUPPT, 6 a 8 de outubro) começa hoje em Florença, um evento promovido pelo GIS Fisioterapia Pediátrica da Associação Italiana de Fisioterapia-AIFI em colaboração com o Mestrado em Fisioterapia Pediátrica da Universidade de Florença e com o serviço de reabilitação do Hospital Universitário Meyer. Profissionais de toda a Europa vão reunir-se de 6 a 8 de outubro para promover e divulgar conhecimento, investigação científica, experiências na área da fisioterapia pediátrica e para partilhar a prática clínica e a formação profissional especializada. “Queríamos fortemente apoiar a organização na Itália da segunda edição da EPUE porque nosso país, também graças ao Mestre especializado neste campo ativo há anos em Florença, sempre foi o motor da inovação e do conhecimento nesta área”, ele disse. Simone Cecchetto, Presidente da AIFI, “A fisioterapia pediátrica, graças à experiência diária da multidisciplinaridade, a gestão de patologias complexas e multidimensionais, a gestão a longo prazo de incapacidades progressivas ou persistentes, a profunda atenção dada ao papel dos fatores contextos na melhoria da qualidade de vida, ajuda a todos na Fisioterapia e também na Saúde para melhor enfrentar os novos desafios da cronicidade. »

Que contribuição o SIG Pediátrico traz para este grande evento internacional? “A primeira edição do Congresso, realizada em Utrecht em 2019, revelou-se uma experiência extremamente enriquecedora que destacou a importância da construção de uma rede europeia de fisioterapeutas pediátricos”, responde. Antonella d’Aversa, Vice-Presidente de Fisioterapia Pediátrica GIS,“O nosso Grupo de Interesse Científico, que sempre acreditou na força da equipa, aceitou, com o apoio da Direcção da AIFI e o apoio da comunicação, o convite para continuar este networking, com o objectivo de incentivar a criação de vínculos fortes e a promoção de projetos concretos. Uma importante contribuição foi oferecida também pelo Mestrado em Fisioterapia Pediátrica da Universidade de Florença e pela Unidade de Reabilitação Profissional do Hospital Meyer, que sempre colaboraram com nosso SIG”.

Durante três dias, centenas de fisioterapeutas trabalharão juntos, discutirão as evidências mais recentes, mergulharão em tópicos de pesquisa e sua aplicação na reabilitação cotidiana. Quais são os macrotemas mais relevantes que serão explorados no programa? Precisa d’Aversa: “O programa científico gira em torno de três temas principais: as neurociências na fisioterapia pediátrica, base para a construção de um tratamento de reabilitação e o desenvolvimento de novas tecnologias integradas nele, deficiências complexas, um grande desafio para o fisioterapeuta moderno, que exige competências amplas, especializadas e altamente especializadas, e fisioterapia na adolescência, fase delicada na transição da infância para a vida adulta que exige envolvimento tanto nas propostas como nos métodos de intervenção e comunicação”.

O painel de vozes internacionais que intervêm em Florença é muito amplo e qualificado e inclui especialistas que vêm de Portugal e Suíça, Suécia e Holanda, Bélgica e Espanha. Quem são os fisioterapeutas especialistas italianos que falarão como palestrantes e qual é o seu conteúdo? O Vice-Presidente do GIS responde: “Muitos fisioterapeutas italianos e estrangeiros se alternarão durante as sessões do Congresso. Citamos apenas alguns: Laura Beccani (Reggio Emilia) e Giulio Valagussa (Como) aprofundarão, em uma oficina pré-conferência altamente atrativa, as questões inerentes às estratégias de avaliação e tratamento do andador, a criança que anda dedos do pé. Juntamente com Maurizio Petrarca (Presidente do GIS Neurosciences, Roma, Bambin Gesù) e seus colegas, a questão das teorias ecológicas da aprendizagem motora e sua recaída na fisioterapia pediátrica será abordada enquanto Serena Barsaglini (USL Toscana Centro) aprofundará o tema do promoção da atividade física na criança com diferentes habilidades. Beatrice Ferrari (Meyer Firenze) e Elia Bassini (presidente do GIS Plancher Pelvien, Perugia), respectivamente, problemas respiratórios em condições complexas e manejo de disfunções pélvico-perineais na adolescência. Matteo Pirinu (Meyer Firenze), juntamente com colegas europeus e italianos, coordenará as sessões interativas de discussão sobre os principais temas do Congresso”.

Versão para impressão, PDF e e-mail

Henley Maxwells

"Solucionador de problemas. Criador certificado. Guru da música. Beeraholic apaixonado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *