Fisioterapia pediátrica, especialistas europeus em conferência em Florença

ROMA- A segunda edição do Congresso Europeu de Fisioterapia Pediátrica abre amanhã em Florença (EUPPT, 6 a 8 de outubro), evento promovido pelo SIG de Fisioterapia Pediátrica daAssociação Italiana de Fisioterapia-AIFI em colaboração com o Mestre em Fisioterapia Pediátrica daUniversidade de Florença e com o serviço de reabilitação deHospital Universitário Meyer. Profissionais de toda a Europa vão reunir-se de 6 a 8 de outubro para promover e divulgar conhecimento, investigação científica, experiências na área da fisioterapia pediátrica e para partilhar a prática clínica e a formação profissional especializada.

“Queríamos fortemente apoiar a organização na Itália da segunda edição da EPUE porque nosso país, também graças ao Mestre especializado neste campo que atua há anos em Florença, sempre foi o motor da inovação e do conhecimento em neste campo – ele enfatiza Simone CecchettoPresidente da AIFI – Fisioterapia Pediátrica, graças à experiência diária da multidisciplinaridade, a gestão de patologias complexas e multidimensionais, a gestão a longo prazo de incapacidades progressivas ou persistentes, uma profunda atenção ao papel dos fatores contextuais na melhoria da qualidade de vida , ajuda todos na fisioterapia e também na saúde a enfrentar melhor os novos desafios da cronicidade”.

Que contribuição o SIG Pediátrico neste grande encontro internacional? “A primeira edição do Congresso, realizada em Utrecht em 2019, acabou por ser uma experiência extremamente gratificante que destacou a importância da construção de uma rede europeia de fisioterapeutas pediátricos – responde Antonelle d’Aversa, vice-presidente do Pediatric Kinesitherapy GIS – Our Scientific Interest Group, que sempre acreditou na força da equipe, aceitou, com o apoio da Diretoria da AIFI e o apoio da equipe de comunicação, o convite dar continuidade a este projeto de networking, com o objetivo de fomentar a criação de vínculos fortes e promover projetos concretos. Uma importante contribuição também foi oferecida pelo Mestrado em Fisioterapia Pediátrica da Universidade de Florença e pela Unidade de Reabilitação Profissional do Hospital Meyer, que sempre colaboraram com o nosso SIG”.

Durante três dias, centenas de fisioterapeutas trabalharão juntos, discutirão as evidências mais recentes, mergulharão em tópicos de pesquisa e sua aplicação na reabilitação cotidiana. Quais são os macrotemas mais relevantes que serão explorados no programa? Precisa d’Aversa: “O programa científico gira em torno de três temas principais: as neurociências na fisioterapia pediátrica, base para a construção de um tratamento de reabilitação e o desenvolvimento de novas tecnologias integradas nele, deficiências complexas, um grande desafio para o fisioterapeuta moderno, que exige competências amplas, especializadas e altamente especializadas, e fisioterapia na adolescência, fase delicada na transição da infância para a vida adulta que exige envolvimento tanto nas propostas como nos métodos de intervenção e comunicação”.

O painel de vozes internacionais que falam em Florença é muito amplo e qualificado e inclui especialistas de Portugal e Suíça, Suécia e Holanda, Bélgica e Espanha. Quem são os fisioterapeutas especialistas italianos que falarão como palestrantes e qual é o seu conteúdo? O vice-presidente do GIS responde: “Muitos fisioterapeutas italianos e estrangeiros se alternarão durante as sessões do Congresso. Citamos apenas alguns: Laura Beccani (Reggio Emília) e Giulio Valagussa (Como) irá aprofundar, numa oficina pré-conferência muito atrativa, as questões inerentes à avaliação e estratégias de tratamento do andador, a criança que anda na ponta dos pés. Com Maurício Petrarca (Presidente da GIS Neurosciences, Roma, Bambino Gesù) e seus colegas abordarão a questão das teorias ecológicas da aprendizagem motora e sua recaída na fisioterapia pediátrica enquanto Serena Barsaglini (USL Toscana Centro) aprofundará o tema da promoção da atividade física em crianças com diferentes habilidades. Beatriz Ferrari (Florença Meyer) ed. Elia Bassini (Presidente do GIS Pelvic Floor, Perugia), respectivamente, problemas respiratórios em condições complexas e manejo de disfunções pélvico-perineais na adolescência. Matteo Pirinu (Meyer Firenze), juntamente com colegas europeus e italianos, coordenará as sessões interativas de discussão sobre os principais temas do Congresso”.

As notícias do site da Dire podem ser utilizadas e reproduzidas, desde que explicitamente mencionados a agência de origem da DIRE e o endereço www.dire.it.

Henley Maxwells

"Solucionador de problemas. Criador certificado. Guru da música. Beeraholic apaixonado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *