Florença e Toscana 20 anos depois do Fórum Social Europeu • Nove da Firenze

Há vinte anos, Florença acolheu o primeiro Fórum Social Europeu. Um ano após a grande violência estatal em Gênova, o movimento antiglobalização deu origem ao seu maior encontro europeu, pacífico e de massas, realizado numa cidade aberta e acolhedora. Em Florença, foi promovida a maior manifestação já organizada no mundo, em 15 de fevereiro de 2003, contra a guerra do Iraque: 110 milhões de pessoas nas ruas de todo o planeta. O New York Times chamou esse movimento de “a segunda superpotência do mundo”.

Num momento trágico da história europeia, organizações e redes sociais de toda a Europa reúnem-se em Florença de 10 a 13 de novembro. Centenas de ativistas, representando mais de 150 organizações italianas, europeias e internacionais, debaterão juntos para se dar mais força e eficiência diante dos grandes desafios de hoje: a guerra do nosso continente, o colapso climático e ambiental, o crescimento sem precedentes das desigualdades, o consenso popular de extrema-direita, o esvaziamento da democracia.

40 eventos temáticos serão realizados na cidade nos dias 10 e 11 de novembroorganizzati slab Various reti e Association europee su molti temi diversi: fra questi crisi energetica e carovita, sovranità alimentare, lavoro, transizione ecologica, pace, diritti delle donne e di genere, femminismo, acqua e beni comuni, salute e sanità, diritto alla Maison .

Uma grande assembléia europeia será realizada nos dias 12 e 13 de novembro no Pal Affari na Piazza Adua 1, em frente à estação Santa Maria Novella. em três temas principais:

  1. Para onde vai a Europa e qual é o seu papel num mundo em mudança
  2. Do ressentimento e da solidão à esperança coletiva: como vencer o consenso sobre o direito na sociedade?
  3. Não basta ter razão: como ser eficaz em tempos de democracia vazia?

Ativistas de redes, movimentos e organizações em muitos países, incluindo Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, Dinamarca, França, Alemanha, Grécia, Itália, Noruega, Portugal, Reino Unido, Sérvia, Espanha, Hungria, Brasil, Iraque, Líbia, Quênia.

Na tarde de 12 de novembro, às 15h30, a assembleia europeia se tornará global, graças a um link onlineacolhendo centenas de outras pessoas de todos os continentes para um encontro com ativistas da Assembleia da Terra e os reunidos Sharm El Sheikh por ocasião da COP27.

Na segunda-feira 7 de novembro e terça-feira 8 de novembro, na Biblioteca Oblata, a Região Toscana e o Município de Florença estão organizando dois dias de debate por ocasião do vigésimo aniversário do Fórum Social Europeu (6 a 10 de novembro de 2002). Aqui está o programa:

  • segunda-feira, 7 de novembro às Sala de conferências Sibilla Aleramo “Florença e Toscana vinte anos depois do Fórum Social Europeu”. Às 16h45, exibição de documentário “Florença, nosso amanhã”, filmado por ocasião do Fórum Social Europeu de 6 a 9 de novembro de 2002.

    Às 17h45, inauguração da exposição “Florença e Toscana vinte anos depois do Fórum Social Europeu”, coordenação editorial, textos e fontes documentais: Setor de Comunicação, Cerimonial e Eventos – Arquivo Histórico da Região da Toscana, fotografias de Massimo Sestini e Agência de Informação da Região da Toscana;

  • A partir das 18h00 “Vinte anos do Fórum Social Europeu”: instituições, associações, jovens, um diálogo ainda possível. Eles vão falar sobre isso Eugenio Giani, Presidente da Região Toscana, Dario Nardelle prefeito de Florença, Claudio Martini ex-presidente da região da Toscana, Leonardo Domenici ex-prefeito de Florença, Tommaso Fattori ex-porta-voz do Fórum Social, Letizia Sanapo presidente do Conselho Estudantil de Florença, Alessandro Rosati presidente do Conselho Estudantil de Lucca.

    Moderador: jornalista Chiara Brilli;

  • terça-feira, 8 de novembro, ainda no Sala de conferências Sibilla Aleramo “Mulheres e instituições para uma Europa mais justa e forte” a partir das 9h45. Presente Cristina Manetti, chefe de gabinete da região da Toscanasaudações institucionais de Eugenio Giani Presidente da Região Toscanadiscursos de Helena Dalli Comissária Europeia para a Igualdade, Alessia Bettini Vice-presidente da Câmara de Florença, Donatella Tesei Presidente da Região da Úmbria;
  • Às 11h30, mesa redonda “Mulheres e paz entre não-violência e resistência” com Stefania Saccardi Vice-Presidente da Região Toscana, Lucia Goracci, correspondente da RAI, Emilia Romano, Presidente da OXFAM Itália, Enza Pellecchia, Diretora do Centro Científico Interdisciplinar para a Paz em Pisa, Ielyzaveta Badanova, Universidade Europeia;
  • Por fim, às 15h15, mesa redonda “Mulheres, ciência e conhecimento para um desenvolvimento humano justo e sustentável” com Maria Chiara Carrozza, Presidente do CNR, Elisabetta Cerbai, Diretora do Laboratório Europeu de Espectroscopia Não-linear (LENS), Alessandra Petrucci, Diretora da Universidade de Florença.

A participação é gratuita e em Marcação online.

Cgil Toscana, Spi Cgil Toscana, Cgil Firenze e Spi Cgil Firenze, por ocasião do vigésimo aniversário do Fórum Social de Florença (6 a 10 de novembro de 2002), anunciam dois dias de debates (“O caminho interrompido”), quarta-feira novembro 9 e na sexta-feira, 11 de novembro, com muitos convidados ilustres.

No primeiro encontro (Fortezza da Basso, “O caminho interrompido: Fórum Social de Florença vinte anos depois 2002-2022“) São esperados – entre outros – os Presidente do IEC Matteo Maria Zuppi, Sergio Cofferati, Achille Serra, Sabina Nuti; ao segundo (Câmara do Trabalho em Borgo Greci 3, “Crise da Europa: nós a serem resolvidos juntos”) estão planejados Rosy Bindi, Gianna Fracassi e Enrico Giovanninicom um link de vídeo de Romano Prodi.

“Relembrando o Fórum Social de Florença, considerando a esperança contida nessas passagens, refletindo sobre as perspectivas que se abrem e retornam aos cenários de hoje, a necessidade de dar-lhes um projeto é o objeto e a razão de nossas iniciativas. Se este caminho foi quebrado, agora juntos devemos encontrar novos, sempre naqueles princípios e esses valores: paz, trabalho, justiça social, meio ambiente, direitos” explique secretária geral da CGIL Toscana Dalida Angelini.

AS INICIATIVAS

“O caminho interrompido: Fórum Social de Florença vinte anos depois 2002-2022”: iniciativa de CGIL Toscana, Spi CGIL Toscana, CGIL Firenze, Spi CGil Firenze, reunidos na quarta-feira 9 de novembro na Fortezza da Basso em Florença (Teatrino Lorenese). Os protagonistas da época comparados às vozes significativas de hoje

  • – Início às 10h30 Contribuição de vídeo por Aldo Cazzullo, jornalista, e Alessio Gramolati, secretário geral do SPI CGIL Toscana
  • – Memória (11-12:30) Achille Passoni, então diretor-geral da CGIL; Achille Serra, então prefeito de Florença; Stefania Ippoliti, então presidente da Confesertenti Florence; Sara Nocentini, então porta-voz do FSE em 2002.

    Liderados por: Daniela Borselli, Spi Cgil Firenze

  • – Hope (14h30-15h30) Matteo Maria Zuppi, Presidente do CEI; Francesca Merz, presidente da Mare Social Enterprise; Sergio Cofferati, então secretário-geral da CGIL; Sabina Nuti, Reitora da Escola Sant’Anna de Estudos de Pisa. Liderado por: Mario Batistini, Secretário Geral do SPI CGIL Firenze
  • – Projeto (15:30-17) Marco Tognetti, CEO da agência Lama; Ermete Realacci, Fundação Symbola; Anna Pettini, Professora de Economia Política da UniFi.

    Faixas: Ivan Pedretti, Secretário Geral Spi Cgil

“Crise da Europa: nós a resolver juntos”: iniciativa organizada pela CGIL Toscana, Spi CGIL Toscana, CGIL Firenze, SPI CGIL Firenze. Encontro na Câmara do Trabalho de Florença (sala Di Vittorio). O programa de trabalho:

  • – Saudações às 10h de Paola Galgani, Secretária Geral da CGIL Florença;
  • – 10h15: discurso introdutório (link do vídeo) do Professor Romano Prodi, “A Europa no cenário global: perspectivando a crise das democracias nacionais e os novos desafios geopolíticos”;
  • – 10h45: mesa redonda “O futuro e os desafios da Europa que queremos”.

    Com o Secretária Adjunta da CGIL Nacional Gianna Fracassi (“Por uma Europa social e trabalhista”), Martina Pignatti Morano (“Por uma Europa de paz”), Enrico Giovannini (“Por uma Europa de sustentabilidade ambiental”). Informações de Contato Raffaele Palumbo (Controradio). Discurso público;

  • – 12h30: Conclusão.

Henley Maxwells

"Solucionador de problemas. Criador certificado. Guru da música. Beeraholic apaixonado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *