Galliani e Berlusconi, desejo louco. Volte grande com Monza

TORINO- Noite de 29 de maio, último ato da Série B. Depois de uma incrível final do playoff vencida em Pisa por 3-4 nos descontos, Monza está na Série A pela primeira vez em 110 anos de vida (eles comemoram em 1º de setembro). Silvio Berlusconi não está mais na pele e com o sorriso de quem atira grande, ele sai com declarações condizentes com seu passado glorioso no Milan: “Agora queremos Scudetto e Campeões“. No dia seguinte ele vai especificar que estava brincando, para quem não entendeu. Mas até certo ponto. Por que então a linha de crédito Galliani ele explicou melhor o verdadeiro objetivo do Monza: o lateral-esquerdo na classificação, contornando as preocupações de salvar vidas típicas de recém-promovidos. Para fazer isso, Galliani orquestra duas maxi operações com Cagliari e Inter nas quais joga no banco ou talvez seja melhor dizer que é a teoria dos dois fornos. Um dia, ele encontra Cagliari para discutir João Pedro, Nandez, Carvões e talvez até Cragno. Então ele se sente com o Inter por Pinamonti, Significado e manter a promissora Pirola. Galliani também fez isso em janeiro, quando procurava um atacante para ir para a Série A: um dia ele cuidou de Mancuso com o Empoli, no dia seguinte ele fez saber que estava feito para Simão com o Crotone, mas foi apenas um gesto para reduzir a demanda pelo Empoli e fechar para Mancuso, que havia sido o verdadeiro alvo durante meses. Ele joga o mesmo jogo com Cagliari e Inter, colocando no tabuleiro cerca de trinta milhões, oferecidos ora a um, ora a outro, esperando que um deles ceda. Claramente, o dinheiro de Berlusconi seria útil para ambos, mas especialmente para a Inter, que está lutando com os conhecidos problemas orçamentários, o dinheiro de Silvio seria uma boa lufada de ar fresco para sobreviver. Esperando um dos dois ceder, amanhã o zagueiro que é dispensado do Inter após 11 temporadas de ativismo, passa por exames médicos, é o primeiro tiro de Monza em A. Para o resto, ainda há um pouco de espera. Mas uma coisa é certa: Berlusconi, o presidente de maior sucesso da história do futebol, não fará uma aparição na Série A com o Monza. O objetivo é inspirar-se no trabalho realizado pela Atalanta e Sassuolo nos últimos anos. E talvez ainda melhor, como dita a história de Berlusconi e Galliani.

Cooper Averille

"Praticante de cerveja incurável. Desbravador total da web. Empreendedor geral. Ninja do álcool sutilmente encantador. Defensor dedicado do twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.