Hot killer na Europa: emergência nacional no Reino Unido, mortes e incêndios em Espanha e Portugal – O vídeo

Toda a Europa está nas garras do calor recorde, o segundo em poucas semanas. No entanto, a situação tornou-se particularmente crítica na parte sudoeste do continente. Espanha, Portugal e França queimam há dias, obrigando milhares de pessoas a deixarem suas casas, devoradas pelas chamas. Dentro Grã-Bretanhacomo em Irlandapreocupa a coluna de mercúrio que continua a subir e terça-feira pode chegar a 40 graus. Enquanto o impacto na população se torna cada vez mais mortal: na Espanha já são 84 mortes devido a temperaturas excessivas. Em menos de uma semana. Já sabemos a causa: as mudanças climáticas, que só aumentarão a frequência e a intensidade desses episódios.

Grã Bretanha

Downing Street disse isso estado de emergência nacional depois de escritório conheceuo serviço meteorológico nacional, emitiu pela primeira vez um “alerta de calor vermelho” no país, que se intensificará entre segunda e terça-feira na zona que inclui Londres, Manchester e Yorktocando 40 graus. Graham Madge E Penny Ednsbyporta-voz e CEO da agência, explicou que esta é uma “situação potencialmente muito grave” e “absolutamente sem precedentes”, exortando a população a levar o alerta a sério.

A Agência de Segurança da Saúde do Reino Unido (Ukhsa), que emitiu o nível máximo de alerta (quatro), para o qual existe um risco real de que “a doença e a morte também possam ocorrer em pessoas aptas e saudáveis, e não apenas em grupos de alto risco”. Conforme relatado por Guardiãoo medo dos profissionais de saúde é que as pessoas que moram sozinhas nos andares superiores dos prédios estejam mais em risco, como aconteceu em Paris em 2003. Segundo dados oficiais das autoridades britânicas, duas ondas de calor menos intensas no ano passado do que a atual provocaram cerca de 1.600 mortes adicionais.

É por isso que chegou a declaração do estado de emergência, que permite mudar suas atividades diárias normais. Entre as medidas adotadas, o fechamento de algumas escolas, a interrupção das ligações ferroviárias e o cancelamento de consultas no hospital. Do lado do trânsito, as autoridades britânicas ordenaram o espalhamento de areia nas estradas para evitar o derretimento do asfalto. Outras medidas devem chegar nas próximas horas. A esperança é que a partir de quarta-feira as temperaturas comecem a cair novamente. A temperatura mais alta registrada no Reino Unido até agora foi de 38,7 graus Celsius em Cambridge em 2019.

Espanha e Portugal

Enquanto no Reino Unido a população está abrigada da onda de calor, na Península Ibérica milhares de pessoas também estão ameaçadas pelas chamas. Durante dias, várias regiões de Espanha e Portugal foram devastadas por grandes incêndios, que forçaram a evacuação de milhares de pessoas. Ainda ontem, sexta-feira 15 de julho, Portugal esteve nas garras de quatro grandes incêndios que, segundo a Proteção Civil, provocaram a morte de pelo menos uma pessoaum piloto determinado a apagar as chamas com seu avião de combate a incêndios, e a lesão de 60 outros.

A onda de calor atingiu a Espanha no último domingo, enviando termômetros acima de 40 graus em diferentes partes do país, e não vai acabar pelo menos até segunda-feira 18 de julho. De acordo com a agência meteorológica nacional, no momento o triste registro pertence a Almonteuma pequena cidade na Andaluzia que me tocou 45,7 graus. E, segundo dados do Instituto Carlos III de Madrid, há pelo menos 84 excessos de óbitos registrados nos últimos dias a serem atribuídos ao calor extremo. A situação é semelhante em Portugal, onde um pequeno município do distrito de Coimbra, a Lousã, apresenta a temperatura mais elevada do país: 46,3 graus. De acordo com a Direcção-Geral da Saúde portuguesa, oexcesso de mortalidade registrado na semana de 7 a 13 de julho seria pelo menos 238 pessoas.

Vídeo de abertura por JornalOGlobo

Leia mais em Aberto

Leia também:

Henley Maxwells

"Solucionador de problemas. Criador certificado. Guru da música. Beeraholic apaixonado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *