Italianos entre os menos convencidos do extremismo da UE na guerra na Ucrânia

Segundo o inquérito Eurobarómetro do Parlamento Europeu realizado entre 12 de outubro e 7 de novembro de 2022, a taxa de aprovação do apoio prestado pela União Europeia à Ucrânia na sequência da invasão russa é de 74% a nível europeu.

Em todos os Estados-Membros, a maioria dos cidadãos parece aprovar o apoio da UE à Ucrânia, com as percentagens mais elevadas registadas na Suécia (97%), Finlândia (95%), Holanda (93%), em Portugal (92%) e na Dinamarca. (92%).

Na Itália, esse percentual cai drasticamente. De fato, 63% disseram que eram a favor. Chipre (53%), Eslováquia (49%), Grécia e Bulgária (48%) estão ainda menos entusiasmados do que a Itália pela política de guerra da UE na Ucrânia. A Grécia tem a maior taxa de “desaprovação” da política da UE em relação à Ucrânia (48%).
Quase um ano após o início da guerra na Ucrânia, o consenso a favor de medidas concretas tomadas pela União, como sanções contra o governo russo ou apoio económico, militar e humanitário à Ucrânia, mantém-se também elevado, em 73% (UE média), mas mesmo aqui na Itália cai para 62%.

Os cidadãos gregos são também os mais preocupados com as consequências da guerra na Ucrânia (61%), seguidos pelos de Chipre (56%). Neste caso, os italianos preocupados com as consequências da guerra são 44%.

– © Reprodução possível COM O ACORDO EXPLÍCITO dos EDITORES da CONTROPIANO

Última modificação :

pressa

Beowulf Presleye

"Extremo fanático por mídia social. Desbravador incurável do twitter. Ninja do café. Defensor do bacon do mal."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *