Migrantes: Itália saúda a realocação como um “primeiro passo concreto” – Outras Notícias – Nova Europa

(ANSA) – ROMA, 09 AGO – Missioni di funzionari francesi e tedeschi nei centri italiani, ulteriori controlli tedeschi son stati stati nei prossimi giorni nel “primo passo” verso un system europeo di ricollocazione dei migranti, ha annunciato il ministero dell’Interno Italiano. Foi dado o “primeiro passo concreto” para a implementação da declaração política aprovada a 10 de Junho no Luxemburgo pelo Conselho dos Assuntos Internos, que prevê a recolocação anual de cerca de 10.000 migrantes, seleccionados principalmente entre os resgatados no mar e desembarcados em os Estados-Membros de primeira entrada na União Europeia. Autoridades francesas foram ao centro de recepção CARA em Bari, de 28 de julho a 2 de agosto, para verificar a composição de um primeiro grupo de migrantes que serão transferidos para a França, disse o Ministério do Interior italiano na sexta-feira, 5 de agosto. ‘Interior. Enquanto isso, as autoridades alemãs disseram que estavam prontas para uma missão semelhante em agosto, acrescentou o ministério. Entre os 18 Estados-Membros (Bélgica, Bulgária, Chipre, Croácia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Irlanda, Itália, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Países Baixos, Portugal, República Checa, Roménia e Espanha) e os três associados aos países da União Europeia (Noruega, Suíça e Liechtenstein) que partilharam a declaração política de 10 de junho, a França e a Alemanha já deram seguimento ao seu compromisso com a formalização de um primeiro pacote de recolocação dos migrantes desembarcados em Itália. Foi assim activada uma “plataforma”, criada pela Comissão Europeia, através da qual os Estados Membros e Associados da UE confirmam o seu empenho na recolocação dos migrantes. A UE tomou o caminho certo, diz o ministro do Interior Lamorgese A ministra do Interior italiana, Luciana Lamorgese, congratulou-se com o progresso feito na implementação de um esquema de realocação. “Estou convencido de que a União Europeia tomou o caminho certo para enfrentar os desafios migratórios e humanitários, como demonstrado nos últimos meses também pela resposta comum e unida à emergência causada pelo conflito armado na Ucrânia, que levou ao deslocamento milhões de refugiados na Europa”. O ministro prosseguiu dizendo que “a declaração política aprovada em 10 de Junho pelo Conselho Europeu dos Assuntos Internos representa um ponto histórico para a União porque, pela primeira vez, o princípio da solidariedade na gestão dos fluxos migratórios nas fronteiras externas da UE foi partilhado pela grande maioria dos Estados-Membros”. “Este resultado foi possível graças ao empenho da Presidência francesa e da Comissão, que aceitaram integralmente as propostas apresentadas pela Itália e pelo grupo Med5 – que inclui também Chipre, Grécia, Malta e Espanha -, dando assim um passo importante na difícil tarefa de desbloquear as negociações sobre o Pacto Europeu sobre Migração e Asilo”, acrescentou. A declaração política de 10 de junho, concluiu Lamorgese, “marca o início de ‘um processo que visa estabelecer o justo equilíbrio entre responsabilidade e solidariedade na gestão fluxos migratórios» (MANIPULAR).

Leigh Everille

"Analista. Criador hardcore. Estudioso de café. Praticante de viagens. Especialista em TV incurável. Aspirante a fanático por música."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.