Milão e o sul do mundo

“Milão e o Sul do Mundo. Do Conhecimento ao Pensamento Crítico, da Solidariedade à Cooperação Internacional” é o título do encontro marcado para os dias 25 e 26 de maio na Sala Napoleônica (via Sant’Antonio 10) da Universidade Estadual de Milão e streaming no ZOOM (link para entrar). As saudações do reitor abrirão a conferência no dia 25 de maio às 9h30. Elio Franzini.

A partida é o resultado da Projeto de pesquisa MISMO (Milão e o Sul do Mundo) financiado pela Statale como parte da Chamada SEED 2020 para o Selo de Excelência (SoE)editado por Elisa Alberani, Professor de língua portuguesa e tradução Vicente Russoprofessor de literatura portuguesa e brasileira e literatura africana em língua portuguesa.

Entre o final da década de 1950 e o final da década de 1970 do século XX, Milão foi a capital da solidariedade com os países então definidos como o “Terceiro Mundo”. Durante esses anos, nasceu em Milão uma constelação de centros de estudos, associações, grupos de ativistas que fizeram da cidade um verdadeiro centro de conhecimento e solidariedade política, civil, cultural e editorial.

Resgatar as memórias de uma cidade aberta e unida, com uma forte vocação cosmopolita e internacionalista e um compromisso terceiro-mundista, significa também conceber as geografias do tempo presente e o papel de Milão na “cooperação internacional”.. O principal objetivo deste projeto é a criação de um mapeamento das redes italianas do “terceiro mundo” que considera a cidade de Milão como seu ponto focal”, explicam os pesquisadores do projeto MISMO, introduzindo os temas no centro da conferência de 25 a 26 de maio.

O principal objetivo da conferência em Milão e no sul do mundo é, portanto, “enfocar as particularidades de um modelo de funcionamento cultural que possa lançar luz sobre o estudo dos mecanismos que regulam a atividade cultural da comunidade em questão. . O “mapeamento” de tempos sobrepostos e espaços entrelaçados só será possível por meio de uma abordagem multidisciplinar (estudos históricos, culturais, sociais, antropológicos, políticos etc.) estarão presentes na conferência Uliano Lucaso fotógrafo da África e da Ásia em movimento, Giorgio Oldrini protagonista político da solidariedade com Cuba, Marco Bechiso diretor ítalo-argentino de memórias da ditadura argentina”.

Cooper Averille

"Praticante de cerveja incurável. Desbravador total da web. Empreendedor geral. Ninja do álcool sutilmente encantador. Defensor dedicado do twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.