Museu de Reggio, inauguração da exposição sobre as 29 “Rotas Culturais na Itália” Il Reggino

Por ocasião do encerramento do semestre de Presidência italiana do Comitê de Ministros do Conselho da Europaa Museu Arqueológico Nacional de Reggio Calabria acolherá a exposição sobre os 29 Rotas Culturais em Itália, que fazem parte das 45 rotas reconhecidas na Europa graças ao Programa Rotas Culturais lançado em 1987 com a Declaração de Santiago de Compostela.

Cada etapa nasceu como um projeto de cooperação turística, visando desenvolver e promover um caminho, ou vários caminhos, em uma viagem histórica, um conceito cultural, uma figura ou um fenômeno de importância transnacional e significativa para a compreensão e respeito de valores. europeus comuns. a O Ministério da Cultura é membro do Acordo Parcial Alargado sobre Rotas Culturais do Conselho da Europa desde a sua criação em 2010 e colabora com a Fundação Escolar para o Património e Actividades Culturais que visa desenvolver uma estratégia de promoção de rotas culturais certificadas que atravessam a Itália.

“É um evento que faz parte das comemorações do cinquentenário da descoberta dos bronzes de Riace – explica Claudia Ventura, arquiteta oficial do MarRC de Reggio – uma exposição que transforma o museu em um espaço inclusivo aberto ao público nacional e panorama europeu. Este é um evento fortemente desejado pelo nosso diretor, Carmelo Malacrino. “” É um evento que faz parte das comemorações do cinquentenário da descoberta dos bronzes de Riace – explica. Claudia Ventura, arquiteta oficial do MarRC de Reggio – uma exposição que configura o museu como um espaço inclusivo aberto ao panorama nacional e europeu. É um evento fortemente desejado pelo nosso diretor, Carmelo Malacrino”.

O percurso da exposição

Um percurso expositivo, organizado pelo Dr ROberta Alberotanza, colaboradora do Ministério das Relações Exterioresgrupo de trabalho da Presidência italiana do Comité de Ministros do Conselho da Europa, será instalado na sala de conferências e abordará, em 29 painéis, temas que vão da arte à arquitetura, das peregrinações aos artistas, escritores, governantes e imperadores , e através do qual são ilustrados alguns dos princípios fundamentais da Europa, como os direitos humanos, a democracia, o diálogo, o intercâmbio mútuo e a passagem de fronteiras.

“A exposição nasceu dentro da presidência italiana da Comissão de Cultura do Conselho da Europa – diz Alberotanza – que terminou em Turim no dia 20 de maio. A exposição é a expressão máxima para a presidência porque no programa das rotas culturais podem ser encontrados todos os princípios do Conselho da Europa: diálogo, tolerância e uma ideia de turismo cultural ao mais alto nível, mas a história europeia. São quase todos os 45 países envolvidos, de Portugal ao Azerbaijão, os temas são os mais variados: muitos religiosos, mas também arqueologia e estamos em Reggio para isso”.

Cooper Averille

"Praticante de cerveja incurável. Desbravador total da web. Empreendedor geral. Ninja do álcool sutilmente encantador. Defensor dedicado do twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.