O alemão Emil Herzog conquista o ouro júnior. Matteo Scalco 14º – OA Sport

Emil Herzog é o novo campeão mundial júnior. Em Wollongong (Austrália) o alemão nascido em 2004 venceu o sprint a dois contra o português Antonio Morgado depois de uma boa actuação na final e conquistou a segunda medalha deste campeonato do mundo depois do bronze obtido no contra-relógio. A Itália nunca é protagonista: o melhor é Matteo Scalco, 14º a 2’22” do vencedor.

A corrida de 135,6 km (a ser coberto inteiramente em um circuito a ser repetido 8 vezes) arranca imediatamente a toda a velocidade. Depois de vários tiros e quedas (em um dos quais o campeão mundial júnior de contra-relógio Joshua Tarling também estava envolvido), ocorreu uma grande fuga. É composto por Zachary Walker (Grã-Bretanha), Romet Pajur (Estônia), Pavel Novak (República Tcheca), Artem Shmidt e Viggo Moore (EUA) e Benjamin Eckerstorfer (Áustria). Estes seis conseguem uma vantagem de pouco mais de um minuto, mas depois o grupo aumenta consideravelmente o ritmo e com cerca de 50km para o final todos retomam.

Nesta fase, as tentativas de fuga foram retomadas imediatamente e pouco depois de Jorgen Nordhagen (Noruega), Matys Grisel, Paul Magnier e Thibaud Gruel (França), Vlad van Mechelen (Bélgica), Emil Herzog (Alemanha), Zachary Walker (Grande-Bretanha) beneficiarem dele), Menno Huising (Holanda), Frank Aron Ragilo e Rmet Pajur (Estônia), Antonio Morgado (Portugal), Jan Christen (Suíça), Pavel Novak (República Tcheca), Artem Shmidt e Viggo Moore (Estados Unidos) e Benjamin Eckerstorfer (Áustria)). Na penúltima volta de subida (Mt. Pleasant 1,1k @ 8,6%), a verdadeira luta começa e muitos desses pilotos escapam.

Ciclismo, Copa do Mundo de 2022: rivalidade ou aliança na Bélgica entre Evenepoel e Van Aert?

Pouco antes do último cruzamento sob a meta, Morgado ataca e por isso tenta a façanha de “longe”. O português leva uma boa margem de vantagem e parece inalcançável, mas logo após a última subida Herzog parte em busca do responsável. O alemão recuperou metro após metro até chegar ao Morgado a 3 km da meta. Com os outros pilotos agora lutando pelo ouro, a vitória se torna uma batalha de mão dupla: Morgado tenta largar de longe, mas Herzog volta e termina a corrida com um triunfo magnífico. Dinheiro assim para Morgado, enquanto o bronze conquistado pelo belga Vlad Van Mechelen, primeiro no sprint dos caminhos batidos. 14º lugar Matteo Scalco, primeiro dos italianos.

Foto: A Imprensa

Cooper Averille

"Praticante de cerveja incurável. Desbravador total da web. Empreendedor geral. Ninja do álcool sutilmente encantador. Defensor dedicado do twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.