OTAN: “Uma presença mais forte e pronta para o combate na fronteira oriental”

A OTAN está consolidando sua posição ao longo da fronteira leste da Europa, aumentando suas capacidades de armas após a agressão da Rússia na Ucrânia.

O secretário-geral Jens Stoltenberg, na Holanda, manteve conversas informais com o primeiro-ministro holandês Mark Rutte e os líderes da Dinamarca, Polônia, Letônia, Romênia, Portugal e Bélgica. A reunião ocorre antes de uma cúpula mais ampla a ser realizada no final deste mês em Madri.

“Hoje à noite discutimos a necessidade de uma presença avançada mais forte e mais pronta para o combate, maior equipamento e suprimentos na Europa Oriental”, disse Stoltenberg.

Primeiro-ministro polonês Morawiecki ele expressou seu apoio à Ucrânia.

“Peço-lhe que faça muito mais por entregar armas, artilharia para a Ucrânia. Eles precisam disso para defender seu país, para defender sua integridade territorial e sua soberania. Onde está nossa credibilidade se a Ucrânia falir? Se a Ucrânia cair, poderemos retomar nossas atividades habituais? Espero que não”.

Enquanto isso, o presidente francês Emmanuel Macron ele viajou para a Romênia para mostrar seu apoio aos 500 soldados franceses implantados no país. Hoje ele vai viajar para a Moldávia e pode viajar para Kyiv.

A favor do alargamento

Os líderes dos sete países da OTAN se comprometeram a apoiar as demandas da Suécia e da Finlândia para se juntar à aliança e fornecer mais armas pesadas para ajudar a Ucrânia a combater a Rússia.

“Minha mensagem sobre a adesão da Suécia e da Finlândia é que eu a acolho calorosamente”, disse Stoltenberg. “É uma decisão histórica. Isso os fortalecerá e nos fortalecerá“.

O secretário-geral também disse que a aliança deve levar a sério as preocupações levantadas pelo presidente turco Recep Tayyip Erdoganque vetaram a adesão dos dois países até mudarem a sua política de apoio aos militantes curdos, considerados por Ancara como terroristas.

“Nenhum outro aliado sofreu tantos ataques terroristas quanto a Turquia”, disse Stoltenberg. Mais cedo, o secretário expressou satisfação com a disposição do governo sueco de “atender às preocupações de Ancara como parte de assumir as obrigações da futura adesão à OTAN”.

ligue do leste

A reunião seguiu-se à reunião de sexta-feira em Bucareste de nove países do Pacto Atlântico, onde alguns líderes pediram à organização que intensifique sua proteção à luz da prolongada guerra da Rússia contra a Ucrânia.

“Devemos garantir que a OTAN seja capaz de responder de forma eficaz e equilibrada às ameaças que enfrenta”, disse o presidente romeno. Klaus Iohannis aos repórteres após a reunião de sexta-feira. “A aliança deve ser capaz de defender cada centímetro quadrado de seu território.”

Três membros da OTAN – Bulgária, Romênia e Turquia – têm vista para o Mar Negro, que se transformou em um campo de batalha na guerra na Ucrânia.

Cooper Averille

"Praticante de cerveja incurável. Desbravador total da web. Empreendedor geral. Ninja do álcool sutilmente encantador. Defensor dedicado do twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.