POLÍTICA – LIGA NORTE – Daniele Belotti: “Meu símbolo? Um cortador para cortar meu dedo que votou em renda de cidadania. Não tenho padrinhos e mestres. A curva norte? Ele não faz política…”

Anos atrás eu o chamei decriança terrível da Liga, sempre fora de coro, excepto o da Curva Norte de Atalante a que dedicou três livros (“Atalante folle amore nostra”). “São 1350 páginas e 3000 fotografias. A surpresa é que foi traduzido e vendido de Portugal para a Polônia via Europa Central. Deve-se levar em conta que existem coletores desse setor esportivo dos ultras, mas não há trabalho dessa consistência de dados e depoimentos”. Daniele Belotti ele é titular. Quem o conhece já pensa no constrangimento de entrar no templo da política e não na ponta dos pés. “Na verdade, eu já tinha sido conselheiro regional, mas no Parlamento há muito mais formalidade e é isso que se descola da realidade da vida de quem é fuoti. E não só ter que vestir paletó e gravata, mas a forma que se torna, se não tomarmos cuidado, mais importante do que o conteúdo, podemos perder a cabeça nesse ambiente, podemos ceder ao que já existiu. de ‘ela não sabe quem eu sou’, que agora talvez não se manifeste assim, mas numa atitude de superioridade que o desvincula da realidade”.

Esta análise já mostra claramente que mesmo esses quatro anos e meio romanos não mudaram você. E assim você tem do seu lado, se for re-nomeado, todos os fãs da Curva Nord, não poucos.

“A Curva Nord não faz política”. Já.

E com a redução drástica (e populista) de parlamentares, também fica muito mais difícil se eleger. Em comparação com os oito parlamentares da Liga do Norte, quantos você calculou que poderão ser eleitos? “Eu não sei, talvez metade.” Nos dias de hoje, obviamente à espera da apresentação das listas (21 a 22 de agosto), são feitas análises e previsões, o que dá a você “fora do time” para usar um termo futebolístico, que diz que com Calderoli como patrocinador você poderia estar entre os donos…

“Que dia é hoje? Segunda-feira, 1º de agosto. E então eu realmente não sei. De qualquer forma, no que diz respeito ao Roberto Calderoli, sou amigo dele, entramos na Liga na mesma época, eu em 1989. Ele um ano depois, mas nunca tive correntes (não há falanges armadas de… “Belotcianos”) ou guardiões. Sou alguém que acreditou e simplesmente acredita”.

Isso confirma o que ouvi de prefeitos e administradores da Liga, quando perguntei com quem está Belotti, eles ficaram mais ou menos confusos e então… ‘ele está consigo mesmo’, essa é a resposta mais popular. “Não sou patrão e não tenho patrões, não crio e não faço parte das correntes, apenas acredito na Liga”.

Em que liga você acredita? Na dos primórdios ou na de agora?

“A Liga foi um movimento revolucionário com um forte impulso de ideais muito fortes. Então produzimos administradores muito bons. Um movimento por definição se transforma mantendo suas raízes autonomistas e federalistas”. Sim, mas agora mudou de pele, é um partido que desceu de norte a sul, o sul que o senhor acusou com razão de estar a reboque, etc.

“Podemos dizer também assistência social. Abandonamos a fase de independência porque reconhecíamos que não tínhamos os… números. Nossa oposição à renda de cidadania como é concebida permanece”.

Mas você aprovou, quando estava no governo do Chefe 1…

NA EDIÇÃO DE NOTÍCIAS DE SEXTA-FEIRA, 5 DE AGOSTO

A propaganda

Beowulf Presleye

"Extremo fanático por mídia social. Desbravador incurável do twitter. Ninja do café. Defensor do bacon do mal."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.