Portugal, o rabino do Porto preso: “Falsificou provas sobre a ascendência de Abramovich para obter a cidadania para ele”

Daniel Litvak, rabino chefe da cidade de Porta – a terceira maior cidade de Portugal – foi presa por suspeita irregularidades na documentação que atesta naturalização de descendentes judeus. Está a ser investigado por fraude relacionada com a concessão da nacionalidade portuguesa ao oligarca russo Roman Abramovichchefe do Chelsea, em 2021. Ele teria fabricado para o bilionário, atingido com sanções pela guerra na Ucrânia, falsa prova de ascendência a partir de judeus portuguesesgraças ao qual o oligarca teria obtido no ano passado a cidadania portuguesaassim como russos e israelenses.

De acordo com a lei portuguesa, de facto, os descendentes dos Judeus sefarditas perseguidos e expulsos da Península Ibérica no século 15 ter a possibilidade de obter cidadania, até agora reconhecido por cerca de 57.000 pessoas. As autoridades portuguesas estão a investigar outros membros da comunidade judaica do Porto, acusados ​​de Corrupção, falsificação de documentos, lavagem de dinheiro, Evasão fiscal E conspiraçãopor ter ajudado ilegalmente vários judeus a obter a nacionalidade portuguesa.

A agência de notícias noticiou a prisão de Litvak lusaque acrescentou que o rabino queria refugiar-se em Israel. O homem foi interrogado por mais de duas horas e seu passaporte foi confiscado. De acordo com as fontes de lusaterá liberdade condicional.

Cooper Averille

"Praticante de cerveja incurável. Desbravador total da web. Empreendedor geral. Ninja do álcool sutilmente encantador. Defensor dedicado do twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.