Portugal, parlamento dissolvido: eleições antecipadas em janeiro de 2022

Os portugueses voltarão às urnas para eleições antecipadas em 30 de janeiro de 2022. O governo Costa perdeu maioria no parlamento e o presidente Marcelo Rebelo de Sousa fez o anúncio, antecipando o fim natural da legislatura de mais de um ano e meio . A votação deveria ter ocorrido no outono de 2023. As próximas serão as oitavas eleições legislativas na história democrática de Portugal, que começaram em 1974 com a Revolução dos Cravos, mas serão também as terceiras eleições num ano, depois das eleições presidenciais em janeiro passado e eleições administrativas no final de setembro.

A rejeição do orçamento do Estado

aprofundando



Portugal, o país para a crise: o financeiro rejeitado

A cisão entre o governo socialista liderado por António Costa e os seus antigos aliados da esquerda radical, que o apoiavam desde 2015, resultou da rejeição do próximo orçamento do Estado, apesar da pressão do Presidente Rebelo de Sousa para evitar a crise. O primeiro-ministro já prometeu fazer campanha por uma “maioria reforçada, estável e durável”, enquanto a oposição de direita é atormentada por divisões internas. A rejeição do orçamento “reduziu totalmente a base de apoio do governo”, enquanto 2022 será “um ano decisivo para uma saída duradoura da pandemia e da crise social que nos atinge”, declarou o chefe de Estado em discurso. .televisão. O de 2022, explicou o curador Rebelo de Sousa, é “um orçamento particularmente importante numa altura particularmente importante”, incluindo os fundos europeus da Next Generation EU.

Cooper Averille

"Praticante de cerveja incurável. Desbravador total da web. Empreendedor geral. Ninja do álcool sutilmente encantador. Defensor dedicado do twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.