RailToLand, as Marchas e suas paisagens protagonistas de um workshop internacional

ANCONA- No âmbito do projeto “RailToLand – Plataforma de ideação coletiva sobre desafios inovadores para a comunicação de paisagens culturais europeias por comboio” e para o Ano Europeu da Juventude, Univpm, em estreita colaboração com a região de Marche e o município de Cagli , organiza, na esplêndida cidade de Le Marche, no interior de Pesaro, um workshop de uma semana sobre patrimônio digital e design thinking, ferramentas para a valorização sustentável da paisagem, dos territórios e do patrimônio cultural. O projeto foi apresentado em uma coletiva de imprensa por Gian Luca Gregori Reitor da Univpm, Francesco Baldelli Conselheiro de Infraestrutura e Políticas de Montanha e Interior, Benilde Marini Vice-Prefeita e Conselheira de Cultura Municipal de Cagli, Paolo Clini Gerente Científico Distori Patrimoine e Univpm referente para a promoção do patrimônio cultural e Ramona Quattrini gestora do projeto RailToLand.

Dada a natureza do projeto, que visa valorizar o património edificado e a paisagem ferroviária através da tecnologia digital, as atividades de formação na região vão também ver um dia, 15 de junho, inteiramente dedicado à linha ferroviária histórica Sub-Apeninos, Ancona- Fabriano- Pérgola. À chegada, à estação de Pergola, haverá um portão multimédia onde será possível fazer uma viagem virtual ao longo da linha Porto-Vigo, um caso de estudo do projeto europeu, mas também interagir com várias tecnologias que vão paisagem e o património cultural das Marcas. Durante as oficinas, alunos, alunos e professores da parceria internacional utilizarão imagens de drones para fotogrametria e scanners a laser para digitalização do patrimônio cultural e paisagístico. Também testarão a aplicação “RailToLand” para conhecer as peculiaridades das paisagens atravessadas pela linha ferroviária Porto-Vigo. De 14 a 18 de junho, alunos e professores de Espanha, Portugal e França vão trabalhar com os grupos de investigação do Departamento de Engenharia Civil, Construção e Arquitetura da Universidade Politécnica de Marche (Distori Heritage, GAP e H4HH) na área de ​Pesarese Anconetano dos Baixos Apeninos, conhecendo os administradores locais e participando dos desafios que as entidades enfrentam.

“O património cultural de Marche será o protagonista deste projeto Erasmus+ que dará um fôlego internacional – afirma o Professor Gian Luca Gregori, Reitor da Universidade Politécnica de Marche – às muitas atividades previstas durante o workshop de Cagli. O objetivo da nossa Universidade é também valorizar os territórios das Marchas e, em particular, as áreas internas. Neste contexto, as infraestruturas são fundamentais para a valorização dos territórios, da cultura e para uma estratégia de atratividade que está na base das nossas ações”. “A Universidade Politécnica de Marche, um autêntico centro de excelência em nossa região, incluiu o Sub-Apenino Itálico Ancona-Fabriano-Pergola no projeto europeu Rail To Land – diz Francesco Baldelli, assessor de infraestruturas e políticas para a montanha e o região interior Marche.Este projeto educativo e cultural, dedicado aos estudantes, viaja através da experiência de viajar de trem pela Subappenina Italica, reativada nos últimos meses, misturada com uma experiência virtual a ser vivida graças às novas tecnologias digitais Cultura e turismo, valorização do território, mobilidade sustentável e valorização da excelência: o trem está se tornando uma alavanca estratégica e uma pré-condição para a revitalização dos territórios em uma visão global das infraestruturas das Marchas. , sem interrupção, o anel ferroviário que liga Ascoli Piceno aos territórios da província de Pesaro Urbino, u linha que sobe ao longo da cordilheira do Adriático, de Civitanova Marche a Fabriano, chegando a Urbino, depois reconectando-se à costa em Fano e Pesaro. Agradeço ao Magnífico Reitor prof. Gregori e seus professores responsáveis ​​pelo projeto Rail to Land, Prof.ssa Quattrini e Prof. Clini, que reconheceu a subappenina Ancona-Fabriano-Sassoferrato-Pergola como modelo cultural europeu para o relançamento de infraestruturas e territórios”.

Para Alberto Alessandri, prefeito do município de Cagli, “ter colocado a beleza de nosso território em um sistema, um patrimônio que atesta a origem de nossas raízes e a referência contínua às nossas tradições, com o uso da tecnologia e, portanto, a construção de modelos digitais, todos vivenciados e criados dentro de um vagão que se move ao longo da ferrovia, é uma ideia a ser apoiada e que parece estar ganhando no momento”. Benilde Marini, vice-prefeita e assessora cultural do Município de Cagli: “A A aceitação deste projeto é motivo de orgulho para Cagli. Nossos lugares podem ser uma fonte de inspiração para os jovens que virão estudar em nossa cidade e que poderão admirar a arte que nos aproxima da história, do Torrione e a Rocca di Francesco di Giorgio Martini desejada por Federico da Montefeltro, combinando tecnologia e patrimônio cultural”. “Há novas abordagens da cultura para o sertão – segundo o Prof. Paolo Clini, referido alugue a Univpm para a valorização do patrimônio cultural – a cultura deixa de ser apenas beleza, mas também de interação com o real desenvolvimento dos territórios. Neste caso, vamos introduzir a cultura nas questões de infraestrutura que podem dar impulso e vitalidade à valorização dos territórios. Para sublinhar este aspecto, o apoio ao projeto pelo Departamento de Infraestrutura da Região Marche é um sinal de atenção especial e estratégica a essas questões”.

A gerente do projeto RailToLand, professora Ramona Quattrini, diz estar convencida de que a imersão em um patrimônio tão complexo e precioso, bem como as tecnologias que serão implantadas para a produção de modelos digitais precisos e reutilizáveis, levarão os alunos a uma abordagem inovadora ao conhecimento e à regeneração, útil para as futuras gerações de profissionais. A semana terminará com a conferência internacional no Teatro Cagli em 17 de junho, intitulada “Paisagem e patrimônio europeu na era digital”, com os palestrantes Livio De Luca (Mapa CNRS), Maurizio Forte (Duke University), Anna Maria Marras (ICOM ), Mario Santana Quintero (Carleton University) e os fundadores da Heritage Asset Management, Roberta Bartolone e Giulio Mangano. A conferência é patrocinada pela AIUCD e EADH e pelas associações profissionais de arquitetos e engenheiros da província de Pesaro e Urbino, e haverá transmissão ao vivo e tradução simultânea italiano-inglês. Apresentará as tendências da investigação sobre a paisagem e o património europeus facilitadas pela omnipresença da tecnologia digital e tentará vislumbrar os futuros desafios e oportunidades neste domínio, tornados ainda mais atuais pela ancoragem do PNRR, temas abordados durante a ronda mesa coordenada pela professora Maddalena Ferretti, coordenadora do curso de estudos em engenharia e arquitetura da construção.

Cooper Averille

"Praticante de cerveja incurável. Desbravador total da web. Empreendedor geral. Ninja do álcool sutilmente encantador. Defensor dedicado do twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.