Refugiados, realocação para a UE começa a partir de Bari

“Primeiro passo concreto” para a implementação da declaração política aprovada em 10 de junho no Luxemburgo pelo Conselho Europeu de Assuntos Internos que prevê a recolocação anual de cerca de 10.000 migrantes, identificados principalmente entre os resgatados no mar e depois desembarcados nos Estados-Membros da primeira entrada na União. Autoridades francesas estiveram em missão a Cara di Bari, de 28 de julho a 2 de agosto, para verificar a composição de um primeiro grupo de migrantes que serão realocados para o país transalpino. Ao mesmo tempo, as autoridades alemãs anunciaram que estavam prontas para realizar uma missão semelhante em agosto. O Ministério do Interior dá a conhecer.

Entre os 18 Estados-Membros (Bélgica, Bulgária, Chipre, Croácia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Irlanda, Itália, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Países Baixos, Portugal, República Checa, Roménia e Espanha) e os 3 associados à União Europeia União Europeia (Noruega, Suíça e Liechtenstein) que partilharam a Declaração Política de 10 de junho, a França e a Alemanha já deram seguimento ao seu compromisso com a formalização de um primeiro pacote de recolocação relativo aos migrantes desembarcados em Itália.

Assim, está operacional a “plataforma”, elaborada pela Comissão Europeia, através da qual os Estados-Membros e os associados à UE confirmam o seu compromisso de recolocação de migrantes.

Beowulf Presleye

"Extremo fanático por mídia social. Desbravador incurável do twitter. Ninja do café. Defensor do bacon do mal."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.