“Risco muito baixo de um novo fechamento dos arcos” – AGIMEG

A curva de contágio está em alta, diferentemente da atual temporada. Como resultado, a preocupação com um possível retorno de restrições e fechamentos. O subsecretário de Saúde Pierpaolo Sileri discutiu, em entrevista exclusiva à Agimeg, o estado da arte da situação epidemiológica e as consequências que podem surgir nos próximos meses.

Subsecretário, estamos vendo um aumento nas infecções e estamos no verão, uma época em que os números devem cair. Corremos o risco de enfrentar um outono e um inverno ainda mais pesados ​​do que os que já vivemos?

Esta parece-me uma hipótese bastante improvável. O que estamos presenciando nos dias de hoje é uma retomada de infecções devido ao surgimento de uma variante, a particularmente contagiosa Omicron BA.5, que no entanto, como já aconteceu com outras ondas, se autolimitará e provavelmente retornará após quatro a cinco semanas . Em outros países onde esta onda começou mais cedo, como Portugal, o número de casos já está a regressar, não tendo havido dificuldades particulares no que diz respeito às admissões em serviços médicos e cuidados intensivos, porque não há neste momento em Itália.“.

Qual é a realidade do risco de voltar a ver lojas e galerias fechadas?

Mais uma vez, eu diria que é um risco muito baixo. Ao contrário de hoje no verão de 2020 ou 2021, a grande maioria dos italianos se vacinou e tomou a terceira dose, e mesmo aqueles que contraem a infecção quase sempre apresentam sintomas muito leves ou até assintomáticos. Recentemente, removemos a exigência de uso de máscaras em ambientes fechados em quase todas as situações, mantendo-a apenas em transportes, hospitais e residências de atendimento. Portanto, eu diria que, salvo a evolução da pandemia, não há neste momento motivos para imaginar que haverá novos fechamentos como os que vivemos nos últimos anos.“.

Que conselho você daria para as pessoas agora?

Para manter a calma e aproveitar as férias, mas também para completar a terceira dose e tomar a quarta se você estiver na faixa etária ou na patologia indicada (como também aponta o professor Matteo Bassetti em um entrevista para Agimeg ed.). Em breve também teremos vacinas atualizadas contra as novas variantes, que nos defenderão ainda melhor contra o vírus. É provável que no outono haja uma retomada das infecções, mas agora nosso corpo soube da existência desse vírus, seja artificialmente com a vacina, ou naturalmente com a infecção, ou ambos, e o impacto em nosso sistema de saúde será cada vez mais reduzida, tornando-se cada vez mais semelhante à da gripe sazonal: é a passagem da fase pandêmica, de emergência, àquela endêmica, de convivência com o vírus“.cdn/AGIMEG

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.