Sinner e Sonego, chapéu Os flashes chiques de Camila – Esporte

por Paulo Grilli

Nunca confie em um espanhol nas quadras de saibro vermelho de Roland Garros. Mais uma razão para um regularista desacostumado a movimentos de classe, mas terrivelmente contínuo e ainda mais martelar, como Roberto Carballes Baena, número 89 do mundo: aquele que tira o ritmo ao nomeá-lo.

Mas Jannik Sinner quebra e cai na terceira rodada do Aberto de Paris. Não totalmente convincente, o tirolês do Sul, em várias ocasiões dá a impressão de não estar corretamente registrado nas táticas da partida, mas depois as garras os arrancam, e como, nos momentos mais oportunos. Um excesso de caráter que preenche as lacunas de uma tarde longa e sem limites até a noite ao som de erros não forçados, principalmente no backhand e um segundo saque manco (e mesmo o primeiro é tímido).

Sinner vence em quatro sets: 3-6 6-4 6-4 6-3: uma subida depois de ser quebrado três vezes no primeiro set, mas depois levou a porta com paciência enquanto dobrava os erros do ‘ibérico. Na parte inferior do tabuleiro, que o direciona para as entradas mais nobres sem cruzar Nadal, Djokovic e Alcaraz, Sinner enfrentará amanhã o americano Mackenzie McDonald, número 60 do mundo que não se permite pensamentos fáceis de fast food. A rodada de 16, no entanto, está ao alcance.

Sem Berrettini ainda nos boxes, não é apenas Jannik que nos faz ficar bem na Cidade Luz. Depois de mais de três meses e meio, Lorenzo Sonego voltou a vencer dois jogos seguidos. O n.35 na classificação, ultrapassou o português João Sousa, n.63 Atp 7-6 (4) 6-3 6-4. Próximo adversário do turco de 27 anos, amanhã, o norueguês Casper Ruud, número 8 do mundo.

Marco Cecchinato teve um obstáculo complicado, e o pelotão confirmou. O palermiano de 29 anos, n.132 Atp, mas aqui semifinalista de um 2018 gritante, foi derrotado por 6-1, 6-4 e 6-2 pelo polonês Hubert Hurkacz, n.13 na classificação.

Desde os aplausos, no torneio feminino, a atuação de Camila Giorgi apareceu no nível de seus melhores dias. A Macerata, de 30 anos, número 30 da WTA, venceu por 6-3 e 7-5 sobre a cazaque Yulia Putintseva, número 37 de 27 anos na classificação. Para a região de Marche, o próximo obstáculo será o vencedor da partida entre o americano Madison Brengle, n.57 na classificação, e a bielorrussa Aryna Sabalenka, n.7 WTA e cabeça de chave. Martina Trevisan já estava na terceira rodada. Florence, de 28 anos, número 59 da WTA, recém-saída de seu primeiro título da WTA, ganhou em Rabat na véspera do Grand Slam da França. Hoje, ele terá que lidar com a australiana Daria Gavrilova Saville, #127 WTA, no sorteio graças a um wild card.

Cooper Averille

"Praticante de cerveja incurável. Desbravador total da web. Empreendedor geral. Ninja do álcool sutilmente encantador. Defensor dedicado do twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *