Um assistente de voz para se sentir menos sozinho

O projeto Voice4health registrou um aumento no bem-estar entre os idosos que convivem com a tecnologia de assistente de voz há algum tempo.

Um assistente de voz para um amigo. Ou pelo menos para a empresa. A tecnologia pode ajudar, especialmente para os idosos que sofreram mais com o isolamento e a solidão do que outros durante esta pandemia.

Aumentar o bem-estar

O projeto Voice4health buscou analisar os efeitos do uso de assistentes de voz em faixas etárias mais avançadas. Sessenta pessoas entre 65 e 80 anos usam o Amazon Alexa há algum tempo. E seu bem-estar, para três em cada quatro, aumentou.

Uma videochamada para todos

Os dados foram registrados pelo Centro de Pesquisa da Universidade Católica EngageMinds HUB em colaboração com a DataWizard e com contribuição incondicional da Amazon e mostraram que, além da tranquilidade dos entrevistados, o desejo de se comunicar pela tecnologia também aumentou. Com uma chamada de vídeo, por exemplo, uma modalidade que se impôs em tempos de pandemia mas que para as faixas etárias mais avançadas nem sempre é intuitiva. Tornar esse tipo de comunicação mais fácil e mais próximo de todos também reduz o estresse psicológico e os sentimentos de isolamento.


O aspecto econômico

Este uso de assistentes de voz também pode se tornar cada vez mais relevante do ponto de vista econômico. Uma tecnologia que impactará a chamada “economia de prata”, ou seja, aquele segmento voltado para os idosos da sociedade.

AGORA

Cooper Averille

"Praticante de cerveja incurável. Desbravador total da web. Empreendedor geral. Ninja do álcool sutilmente encantador. Defensor dedicado do twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.