Um estudo da Universidade Milano-Bicocca para melhorar as habilidades sociais e emocionais Italpress News Agency

MILÃO (ITALPRESS) – Por meio de atividades direcionadas envolvendo professores e alunos, é possível aumentar suas habilidades socioemocionais. Isso é demonstrado pelos dados coletados ao final da fase de testes do PROMEHS – Promoção da Saúde Mental nas Escolas. O projeto de investigação financiado pela União Europeia no âmbito dos concursos Erasmus+ foi realizado em seis países (Croácia, Grécia, Itália, Letónia, Portugal, Roménia) e envolveu dez mil alunos e respetivos professores. Na Itália, participaram 1.400 alunos, do jardim de infância ao ensino médio, e 500 professores da Lombardia e do Piemonte. O estudo foi realizado por uma rede internacional de autoridades públicas, redes científicas e associações das quais a Universidade de Milano-Bicocca é líder. Os participantes foram divididos em dois grupos: o grupo experimental, que participou das atividades do PROMEHS durante o ano letivo 2020-21, e o grupo controle, ao qual, por outro lado, só foi ministrado o treinamento. . dado para comparação. As atividades para promover a saúde mental variaram de desenho a contação de histórias e dramatização. As famílias das crianças também foram envolvidas no processo. Os resultados dos testes realizados antes e depois da fase experimental mostram que o tipo de intervenção proposto também é eficaz em diferentes situações socioculturais, como as dos seis países em questão. Os resultados mais fortes foram encontrados nos professores, particularmente em relação à autoeficácia na gestão da sala de aula, mas também nos alunos houve efeitos positivos claros na capacidade de compreender as próprias emoções e as dos outros, com consequente melhoria nas relações interpessoais e a capacidade de tomar decisões. Em relação aos dados registrados na Itália, observou-se um forte aumento da resiliência entre os professores envolvidos no experimento em relação ao grupo controle. Entre os alunos, as maiores melhorias foram observadas nas crianças do ensino fundamental e nas crianças do ensino médio, que apresentaram um aumento significativo, principalmente na capacidade de reconhecer suas emoções. A presença de comportamentos sociais positivos aumentou entre todos os alunos, especialmente aqueles do ensino médio. Além disso, observou-se uma redução nos problemas comportamentais. Os livros didáticos produzidos representam um legado: um verdadeiro currículo baseado em evidências que poderia se tornar uma ferramenta de apoio para os professores se – como desejam os especialistas envolvidos no projeto – se decidisse incluir a promoção da saúde mental na formação. . “Os resultados promissores do ensaio PROMEHS mostram como é possível montar um programa de intervenção eficaz que tenha como foco a escola como contexto privilegiado para a promoção da saúde mental”, explica Ilaria Grazzani, professora de psicologia do desenvolvimento e educação em Milão-Bicocca. coordenador de projetos internacionais. A equipe italiana, que contou com a colaboração do MIUR, do Escritório Regional das Escolas da Lombardia, da Região da Lombardia e da Associação Italiana de Psicologia, também é composta por Veronica Ornaghi, Valeria Cavioni, Elisabetta Conte, Francesca Micol Rossi, Alessia Agliati e Sabina Gandelini.

(ITALPRESS).

– agência photofotogramma.it –

Deseja publicar o conteúdo da Italpress.com em seu site ou deseja promover seu negócio em nosso site e nos de nossos jornais parceiros? Contacte-nos em info@italpress.com

Cooper Averille

"Praticante de cerveja incurável. Desbravador total da web. Empreendedor geral. Ninja do álcool sutilmente encantador. Defensor dedicado do twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.