uma rede para proteger o Mediterrâneo contra o lixo marinho’, um evento de Legambiente e da Universidade de Siena

Terça-feira, 28 de junho, o evento online como parte da Conferência dos Oceanos das Nações Unidas

Os oceanos e mares têm sido frequentemente considerados como uma fonte de matérias-primas ilimitadas capazes de sustentar o crescimento industrial, mas também de absorver a produção descontrolada de todos os tipos de resíduos.

Mas nos últimos anos, em particular, os plásticos tornaram-se uma grande e crescente ameaça ao ambiente marinho, com efeitos mortais nas espécies marinhas e potenciais ameaças à saúde humana.

“Ciência e conhecimento: uma rede para proteger o Mediterrâneo contra o lixo marinho” é o título do encontro online, que acontecerá na terça-feira, 28 de junho, às 10h30, promovido pela Legambiente e pela Universidade de Siena, com o apoio da Unione per the Méditerranée, InterregMed e ENI CBC, durante o qual os oradores não se limitarão à transmissão de informação para melhorar a sensibilização para o fenómeno do lixo marinho, mas terão a oportunidade de discutir a possibilidade de implementar novas ferramentas e atividades que integrem campanhas científicas e de sensibilização. Uma nova abordagem participativa envolvendo stakeholders e comunidades.

A iniciativa acontece por ocasião da segunda Conferência das Nações Unidas sobre os Oceanos, que acontece de 27 de junho a 1º de julho em Lisboa, Portugal.

A Universidade de Siena renova a sua aposta na proteção do ecossistema marinho com a apresentação do projeto Plastic Buster CAP que herdou o trabalho de dez anos realizado em matéria de lixo marinho, começando com Plastic Buster, eleito em 2012, Projeto Faro do ‘Eixo Regional do Mediterrâneo da Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (UN SDSN). O objetivo do projeto é ajudar os países do Mediterrâneo a compartilhar metodologias e tecnologias para atividades de monitoramento da saúde do mar e ações comuns para mitigar os efeitos negativos da presença de lixo no mar.

A reunião online contará com a presença de: Giorgio Zampetti, Gerente Geral da Legambiente Onlus e Professora Maria Cristina Fossi da Universidade de Siena.

Os bolsistas participarão do evento, incluindo: Sigi Gruber, União Européia; Eleni Hatziyanni, DG MARE; Alessandra Sensi, União para o Mediterrâneo; Vincent Ernoux, ENI CBC Med / Programa Interreg NEXT MED, Francesca Marcato, InterregMed, Maria Cristina Fossi da Universidade de Siena, gestora do projeto Plastic Buster CAP e Sana Ben Ismail, INSTM.

As armadilhas de lixo, prejudicam ou são ingeridas por organismos aquáticos, fornecem um meio de transporte para espécies exóticas chegarem a ambientes estranhos ao seu ambiente nativo, mas o maior problema é que os plásticos não desaparecem. Eles permanecem por décadas no meio ambiente e se quebram em pedaços cada vez menores, impossíveis de remover e identificar: microplásticos (fragmentos com menos de 5 mm), que têm uma maneira mais fácil de entrar na cadeia alimentar e contaminá-la.

Por esta razão, a resolução do problema do lixo marinho no Mediterrâneo representa um dos desafios mais complexos dos últimos anos. Dada a natureza dos ambientes marinhos, não isolados do contexto envolvente, as questões relacionadas com o mar só podem ser abordadas a nível comunitário e através de uma abordagem multi-institucional integrada, em que os diferentes actores políticos e societais da sociedade civil possam trabalhar em conjunto e de forma forma coordenada.

As informações sobre o evento, que também será transmitido online nos canais Legambiente, estão publicadas em www.unisi.it/unisilife/eventi/scienza-conoscenza-rete-tutela-mediterraneo

Cooper Averille

"Praticante de cerveja incurável. Desbravador total da web. Empreendedor geral. Ninja do álcool sutilmente encantador. Defensor dedicado do twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.