“Em Valência, quero ser o melhor de todos os tempos”

Edinson Cavani Ele se apresentou como o novo atacante do Valência de Gennaro Gattuso. Uma bela compra desde que o ponto uruguaio consiga fazer o papel do Matador. O jogador de 35 anos assinou por dois anos depois de terminar sua aventura com o Manchester United. No entanto, ele não vai apressar seu retorno, pois não joga há mais de dois meses: “Mas eu treinei sozinho”. Ele explica que foi fácil escolher Valência: “Já tinha isso em mente porque é um grande clube.”

Cavani: “A incerteza e o medo levam você a dar o melhor de si”

Ele admite como é entrar em campo, com qualquer camisa: “Você sempre tem essa sensação na barriga quando sai para jogar. Essa incerteza, esse medo que faz você dar o seu melhor. Como você se mantém competitivo? É um desafio como tantos outros que tive na minha carreira” . Ele escolheu o número 7: “Estaria mentindo se dissesse que não gosto de nenhum número, mas não é um fardo para a camisa. É apenas um número em uma camisa, com todo o respeito aos jogadores que usaram o mesmo número. Eu nunca iria a lugar nenhum para reivindicar um número se já pertencesse a um companheiro de equipe”.

Veja o vídeo

Valence, aqui está Cavani: “Estou encantado com este novo desafio”

Cavani: ‘Não sou torcedor de nenhum time’

Cavani explica: “Quando você quer competir, todos são desafios. Assim que visto a camisola da equipa, sou adepto deste clube. Mas não apoio ninguém. Sinto este desafio da mesma forma que antes. Estou me divertindo do meu jeito”. Confirme se você recebeu outras ofertas: “Mas tinha o Valência em mente porque sei que é um grande clube e uma grande cidade. Se não fosse pelo dinheiro, teria ido para outro lugar. Outros sentimentos me atraíram aqui”.

Ele terá uma responsabilidade adicional para com os jovens: “Você tem uma carreira atrás de você e conquistou o respeito deles pelo que fez, por quem você é. Há jovens que observam para os quais devemos ser exemplo.

Cavani: “Fenômeno? Não, mas compenso com trabalho”

“Nunca me senti um fenômeno com qualidades extraordinárias, mas sempre compensei com trabalho. Fiz muitos sacrifícios para conseguir o que consegui”. Antes dele, havia outro Matador, um certo Kempesmas Cavani diz: “Nunca quis me parecer com ninguém. Trabalhei para estar no mais alto nível e dar o meu melhor. Ganhei meu nome. Quero estar em campo o mais rápido possível, farei sempre o meu melhor porque quero para devolver ao clube a confiança que demonstraram em mim. Trabalho para estar no topo, não gosto de competir com cinco ou seis, mas com dez”.

Cavani: “É importante saber quem é Gattuso e do que ele gosta”

Não foi Gennaro Gattuso quem o trouxe fisicamente a Valência: “Como eu disse antes, decidi por que este é um grande clube. Mas era importante para mim saber quem é Gattuso e quais as coisas que ele gosta”.

Napoli, Olivera se apresenta: "Cavani me mandou"

Assista a galeria

Nápoles, Olivera se apresenta: “Cavani me mandou”

Inscreva-se no Corriere dello Sport Fantasy Championship: Mister Calcio CUP

Cooper Averille

"Praticante de cerveja incurável. Desbravador total da web. Empreendedor geral. Ninja do álcool sutilmente encantador. Defensor dedicado do twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.