“Roma, temporada fantástica. Os árbitros influenciaram nossos jogos”

Como você experimentou pessoalmente essas vitórias, especialmente a última?
“São conquistas vividas com loucura e paixão, porque coincidem com uma das minhas principais preocupações como treinador. Dar alegria aos outros é a melhor coisa da vida. No caso da Roma, foi uma vitória muito especial.”

Sexto lugar e vitória na Conferência, foi uma boa temporada?
“Depende de quem analisa. Para alguns Einsteins da televisão portuguesa, a nossa época foi má, mas para mim, que sou muito exigente comigo mesmo, foi fantástica porque não tínhamos capacidade para fazer melhor. Houve jogadores que jogou 50 você sai e não estou falando de Rui Patricio que fez 54…”.

Foi um trabalho muito exigente.
“Sem dúvida. Tive que deixar jogadores jovens jogarem. Tive a ausência de um jogador de ponta por dez meses (Spinazzola, nota do editor), tive Inter, Milan, Juve, Napoli, Atalanta e Lazio como adversários. E tivemos 14 jogos na quinta-feira, com jogos do campeonato no domingo seguinte. E depois há todo o trabalho que é feito internamente para melhorar o clube, seja o que for que não se veja de fora. Por isso digo: grande Tiago Pinto.”

Veja o vídeo

Boa notícia para Roma, Tiago Pinto não terá que negociar renovação de Smalling

Como foi trabalhar com Tiago Pinto?
“É o meu parceiro, um parceiro de todos os dias. Um grande treinador e, hoje, um grande amigo. Hoje entendo ainda mais porque o Benfica não ganhou este ano.”

Como você encontrou a Serie A depois de dez anos?
“É um campeonato em crescimento. Os clubes do meio da tabela têm qualidade de jogo e as partidas se tornam difíceis. Eles querem vencer, não há jogos fáceis. Estou feliz por estar de volta à Série HAS”.

Ele sempre reclamou dos árbitros.
“Os árbitros são discutidos não só na Itália, mas em todo o mundo. Na Serie A há um trabalho difícil para o Sr. Rocchi, há menos árbitros experientes e muitos jovens. Devo dizer que houve erros de arbitragem que eles condicionaram várias partidas. De qualquer forma, a Série A é um campeonato de qualidade”.

Após a primeira temporada em Roma, como você vê o futuro? Você só precisa de reforços ou algo assim?
“Estamos cientes da diferença que nos separa das equipas de topo na classificação e só temos de continuar numa direcção: trabalho, trabalho e trabalho. Só assim podemos diminuir a diferença. Não há outro caminho.”

Você já tem um nome para dedicar a vitória de Tirana?
“Não estou dizendo, escusado será dizer. Todo mundo sabe quem ele é”

Mourinho dirige o ônibus da Roma: os bastidores da festa

Veja o vídeo

Mourinho dirige o ônibus da Roma: os bastidores da festa

Nós a vimos feliz em Tirana como se fosse sua primeira vitória na carreira…
“Tem sido uma carreira difícil, muito difícil, mas há vidas piores que a minha. Sinto falta do que Deus quer, mas há coisas que eu gostaria de fazer: por exemplo, vencer a próxima partida!”

Os resultados da temporada de Rui Patrício?
“Ele é um monstro.. O ‘San Patrizio’ da Roma. Ele jogou 54 jogos, teve dois problemas para marcar contra Sassuolo e Bodo Glimt, mas sempre teve um desempenho muito alto. Como eles fazem em Portugal dizer que ele não joga titular na seleção após a temporada em Roma? Para mim, é uma heresia.”

Ficou satisfeito com o desempenho de Sergio Oliveira?
“Ele é um campeão. Ele sabe vencer e sabe ser o líder e companheiro ideal. Ele tem sido fundamental na nossa temporada”.

Roma, Mourinho desencadeou: cumprimente os fãs e peça lenços para autografar

Veja o vídeo

Roma, Mourinho desencadeou: ele cumprimenta os fãs e pede lenços para autografar

Cooper Averille

"Praticante de cerveja incurável. Desbravador total da web. Empreendedor geral. Ninja do álcool sutilmente encantador. Defensor dedicado do twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.