Villa Borghese e Parco Sempione entre os parques mais populares da Europa – Evasioni

(por Marzia Apice) (ANSA) – ROMA, 20 DE JULHO – Há também a ‘nossa’ Villa Borghese, o Parco Sempione e o Parque Nacional de Cinque Terre entre as atrações naturais mais populares e apreciadas do Velho Continente: é o que emerge de um estudo realizado pela Musement, uma plataforma digital de reserva de experiências de viagem, que analisou mais de 3.800 locais de interesse ao ar livre em toda a Europa e compilou um ranking dos 30 lugares mais verdes populares com base no número de comentários recebidos no Google (os dados são atualizados até junho de 2022). A liderar o top 10, Espanha com o Parque do Retiro em Madrid (153.445 avaliações; um espaço público de 125 hectares repleto de monumentos, como o dedicado a Afonso XII e a famosa Fonte do Anjo Caído) e o parque Güell em Barcelona (145.819 críticas; um dos símbolos da cidade, Património Mundial da UNESCO desde 1984, juntamente com outras seis obras de Antoni Gaudí), seguida da Grã-Bretanha com o Hyde Park em Londres (107 259 críticas; mais de 140 hectares de natureza exuberante e numerosos monumentos, fontes e estátuas de interesse artístico e cultural). O quarto e quinto lugares são ocupados pela França, com o Jardin du Luxembourg (87.446 avaliações; 23 hectares e dois estilos de jardim diferentes, inglês e francês) e o Jardin des Tuileries (84.968 avaliações; não perca o jardim do francês projetado por André Le Nôtre e as esculturas de Maillol e Rodin), ambas em Paris. Segue-se o austríaco Prater em Viena (84.234 avaliações; dentro do parque de diversões Wurstelprater, onde fica a famosa roda gigante), o Parque Nacional dos Lagos de Plitvice, na Croácia (79.644 avaliações; emocionante caminhada pelas passarelas e os caminhos que ligam o 16 lagos principais do parque) e o parque polonês Łazienki em Varsóvia (68.306 avaliações; 76 hectares divididos em três seções, o Jardim Real, o Jardim Romântico e o Jardim Modernista).

Em nono e décimo lugar está a Itália, com a Villa Borghese em Roma (63.609 avaliações; entre suas preciosidades, a Galleria Borghese, cuja coleção abriga obras de Bernini, Canova e Caravaggio) e o Parco Sempione em Milão (62.766 avaliações; mais de 40 hectares, vê sua entrada principal pelo Castello Sforzesco). Não é por acaso que dominam os parques urbanos, oásis urbanos particularmente apreciados pela mistura de natureza, arte e cultura (no ranking consta também o parque municipal de Budapeste e o parque Ciutadella em Barcelona, ​​​​​;;; que são respectivamente na décima primeira e na décima segunda posição): estes autênticos “pulmões verdes” representaram uma tábua de salvação nos meses mais severos da pandemia e permitem agora, com as temperaturas muito elevadas do verão, os cidadãos e turistas abrigarem-se do calor sem recorrer ao ar condicionado, representando também locais de encontro muito agradáveis, para caminhadas, piqueniques e vivências culturais. No ranking geral, no entanto, não faltam áreas protegidas, incluindo o Parque Nacional de Cinque Terre na Ligúria, o Parque Natural de Sintra-Cascais em Portugal e o Parque Nacional do Teide em Tenerife. Entre as atrações mais espetaculares do top 30 estão as Cataratas do Reno, na Suíça, e o Cabo da Roca, também em Sintra. Quanto aos jardins botânicos, os de sucesso são o holandês Keukenhof e o Royal Botanic Garden em Kew, perto de Londres. (MANIPULAR).

Cooper Averille

"Praticante de cerveja incurável. Desbravador total da web. Empreendedor geral. Ninja do álcool sutilmente encantador. Defensor dedicado do twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.