MotoGP, Quartararo: “Vamos trazer o título de volta à Yamaha”

Quartararo comenta sobre a nova pintura do M1 apresentada em Jacarta: “Gosto desta modificação com o design de camuflagem, é bom adicionar algumas pequenas mudanças do ponto de vista estético”. Sobre a próxima época, onde vai tentar ser novamente campeão do mundo: “Acredito na minha equipa, vamos trazer o título de volta à Yamaha, vamos divertir-nos este ano”

O CALENDÁRIO DE APRESENTAÇÕES

A cor do cabelo permaneceu a mesma (branco oxigenado), enquanto a cor da bicicleta mudou ligeiramente. Fabio Quartararo elogiou o efeito de “camuflagem” que foi adicionado ao seu novo M1, apresentado em Jacarta com Franco Morbidelli: “É sempre bom ver a pintura que você vai usar no novo campeonato, Eu gosto dessa modificação com o design de camuflagem, é bom adicionar algumas pequenas mudanças estéticas“, disse o francês. A pintura de 2023 é decididamente mais agressiva, com um efeito de ‘camuflagem’ que introduz a cor cinza (além das clássicas cores azul e preto), ideia da designer Aldo Drudijá famoso no mundo do automobilismo pelos gráficos engenhosos feitos para Valentino Rossi.

“Estou pronto para vencer novamente”

Para além das questões cosméticas com a nova pintura da Yamaha, Quartararo também falou sobre a próxima época, que começa a 26 de março com o GP de Portugal (todo o campeonato do mundo está em direto na Sky Sport MotoGP e em streaming no NOW): ” Aprendemos muito com na última temporada, isso nos ajudará a dar um passo adiante este ano, trabalhamos muito. Estamos prontos para vencer novamente. Será um grande desafio este ano com a introdução de corrida de velocidade, terá de ser consistente e evitar lesões, procurando dar o seu melhor em cada corrida. Normalmente o sábado é um dia de preparação para o domingo, mas agora haverá outra corrida. Portanto, a forma como trabalhamos às sextas-feiras também mudará. Estou curioso para ver como esta moto vai correr nos testes de Sepang. Acredito na minha equipe, vamos trazer o título de volta para a YamahaVamos nos divertir este ano.”


“Recuperei 100% da minha lesão”

A lesão na mão sofrida em dezembro passado (pequena fratura na mão esquerda durante o treino de motocross) está agora totalmente superada, como explica o piloto francês: “Recuperei 100% da lesão na mão e agora me sinto muito melhorMal posso esperar para voltar à moto. Senti falta de não poder treinar durante o inverno”


Cooper Averille

"Praticante de cerveja incurável. Desbravador total da web. Empreendedor geral. Ninja do álcool sutilmente encantador. Defensor dedicado do twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *